Vídeo de torcedores do Santa Cruz cantando grito do Sport gera polêmica

Um vídeo de 26 segundos constrangeu toda a torcida do Santa Cruz, clube que levantou o título Brasileiro da Série C, na noite do último domingo. Imagens de torcedores corais entoando o grito de guerra da torcida rival do Sport ganharam uma rede social. Uma cena inconcebível, tamanha a rivalidade envolvendo os dois times em Pernambuco. O caso está sendo investigado pela Corregedoria Geral da Secretaria de Defesa Social (SDS).

Assista ao vídeo:

Corregedoria da SDS vai apurar suposto abuso contra torcida tricolor

A Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (SDS-PE) postou uma nota no site da instituição, na noite de ontem, onde informa as providências da pasta em relação ao vídeo que mostra torcedores do Santa Cruz Futebol Clube ( muitos deles vestidos com camisas da torcida organizada Infeno Coral), com as mãos na cabeça e sendo obrigados a cantar o Cazá, cazá, tradicional grito de guerra  do Sport Club do Recife.

Gravação se espalhou rapidamente pelas redes sociais (YOUTUBE/REPRODUCAO DA INTERNET)

As imagens, que teriam sido gravadas no domingo à noite quando os torcedores deixavam o estádio do Arruda após a conquista da Série C pelo Santa Cruz, espalharam-se rapidamente pelas redes sociais, ontem, e ganharam maior repercussão no período da tarde e noite.

Nos 26 segundos do vídeo fica claro o deconforto e constrangimento dos torcedores do Santa Cruz. Há a suspeita de que o grupo  tenha sido obrigado a cantar e gritar o nome do maior rival após ser abordado por policiais militares,que teriam gravado tudo.

A nota diz que o secretário de Defesa Social, Wilson Damázio, ao ver o vídeo, o encaminhou  à Corregedoria Geral da SDS e derterminou a imediata apuração do caso. O texto diz que a Corregedoria irá investigar as imagens e, se for comprovada a veracidade, o órgão abrirá uma sindicância e punirá os responsáveis de acordo com a legislação. “A SDS reitera o compromisso de tudo fazer em prol da segurança dos pernambucanos e abomina qualquer ato que configure transgressão ao ordenamento jurídico vigente, especialmente aos Direitos Humanos”, afirma o texto.

Do Diario de Pernambuco

Escolhidos os dois leitores que irão receber o livro sobre Segurança Pública

Os leitores Fernando José Teixeira e Leyla Santana foram os selecionados para receber um exemplar do livro de Luiz Eduardo Soares, Segurança tem saída, cada um. Eles participaram da promoção feita pelo blog que premiou os leitores que enviaram sugestões/ideias a serem aplicadas no estado de Pernambuco para que haja redução da criminalidade.

Luiz Eduardo Soares é especialista em segurança pública e autor de vários livros conhecidos. O antropólogo e cientista político já foi secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro, no governo de Anthony Garotinho, e ocupou a Secretaria Nacional de Segurança Pública, no governo Lula. Na carreira de escritor, Soares foi co-autor dos best-sellers Elite da Tropa e Elite da Tropa 2.

Os leitores selecionados podem entrar em contato com o blog pelo e-mail wagneroliveira.pe@dabr.com.br ou pelos telefones 2122.7514 ou 7512 para acertar a entrega dos livros. As sugestões enviadas podem ser conferidas nos comentários deixados na postagem do link abaixo:

Blog vai sortear dois livros de Luiz Eduardo Soares sobre Segurança Pública

Presos em nome do trabalho

Algumas pessoas que deixam as unidades prisionais em todos os estados do Brasil, apesar de todas as dificuldades e falta de incentivo do governo, deixam as prisões com o objetivo de mudar de vida e não voltar a cometer crimes. No entanto, para isso, essas pessoas precisam da ajuda de quem está do lado de fora para seguir no caminho certo.

Depois do apoio da família e dos amigos, um passo importante é a inserção dessas pessoas no mercado de trabalho, o que pouco acontece. Muitas empresas se recusam a contratar ex-presidiários por preconceito e medo. Essa realidade tem feitos muitos apenados de Pernambuco abrirem mão do direito de diminuir a pena quando trabalham nas prisões para não ter que enfrentar o desemprego quando ganharem a liberdade.

Esse assunto é o tema da matéria feito pelos jornalistas Ed Wanderley e Annaclarice Almeida.

Assista ao vídeo:

Presos ficam ligados ao sistema carcerário para estudar e trabalhar

Do Diario de Pernambuco, por Ed Wanderley

Para quem acompanha o passar das horas por trás de grades trancadas, liberdade é sonho e objetivo. Abrir mão do direito mais básico da cidadania, o de ir e vir, parece ilógico e inconcebível. Mas há quem prefira manter-se ligado ao sistema carcerário por mais tempo do que seria necessário. Isso porque, através dele, pode encontrar trabalho. São homens e mulheres cujas expectativas por reinserção social são ainda mais baixas que antes de as algemas e os cadeados lhe mudarem os planos.

No Complexo Prisional do Curado, presos trabalham na usina de reciclagem e, para cada 3 dias<br />
trabalhados, ganham 1 a menos na sentença. Foto: Annaclarice Almeida/DP/D.A Press

Pessoas que temem a liberdade completa por achá-la menos verdadeira que o constante julgamento de seus passados, estampado no rosto de cada potencial empregador. Cena que, repetida, os manteriam tão presos pela necessidade quanto já foram por seus crimes.

Marianne Assunção, 24 anos, poderia ser mais uma universitária jaboatonense livre e, no entanto, assinou um termo de desistência da liberdade condicional há mais de três anos. Caso não o tivesse feito, já teria a graça do perdão da pena – de seis anos – mas segue no regime aberto, ligada, por opção, ao sistema de reeducação. “Trabalho desde 2010 numa secretaria do governo. Solta, não conseguiria trabalho como esse, que me mantém e permite estudar”, diz.

Morador de Camaragibe, Eduardo Tinoco da Silva, 33, já cumpriu a pena. Mas a morosidade do julgamento acaba postergando o exercício de seu trabalho num museu, onde atua como auxiliar de serviços gerais há quase três anos. “Emprego dá sensação de segurança. Com ele, pago um curso de gestão e a escola do meu filho”, conta ele que, um dia, levou no bolso 20 pedras de crack.

Leia matéria completa no Diario de Pernambuco deste domingo