Missa em homenagem a Mirella Sena será na capela do Colégio Damas

Parentes e amigos da fisioteraputa Tássia Mirella Sena de Araújo, 28 anos, assassinada pelo vizinho no flat onde morava, no último dia 5, em Boa Viagem, participarão da missa de sétimo dia em sua homenagem na noite desta terça-feira. A celebração está marcada para as 19h e vai acontecer na capela do Colégio Damas, na Avenida Rui Barbosa, no bairro das Graças, Zona Norte do Recife. A família e os amigos de Mirella estarão vestidos com a mesma camisa usada no protesto realizado na manhã do último domingo na Avenida Boa Viagem.

Pais de Mirella participarão da celebração. Foto: Julio Jacobina/DP

Pais de Mirella participarão da celebração. Foto: Julio Jacobina/DP

Os pais da fisioterapeuta, Suely e Wilson, estarão presentes na celebração. Segundo a Polícia Civil, Mirella foi morta por Edvan Luiz da Silva, 32, que foi autuado em flagrante por homicídio qualificado e encaminhado ao Centro de Observação Criminológica e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, onde está isolado dos demais presos. Nesta segunda-feira, a companheira de Edvan, que não teve o nome revelado, prestou depoimento no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), no bairro do Cordeiro. De acordo com o delegado Francisco Océlio, a mulher disse não saber que Edvan tivesse comportamento estranho em relação a outras mulheres.

Mirella tinha 28 anos e foi morta dentro de casa. Foto: Reprodução/Facebook

Mirella tinha 28 anos e foi morta dentro de casa. Foto: Reprodução/Facebook

A polícia espera ainda os resultados do exame sexológico, que deve apontar se Mirella sofreu abuso sexual, e do toxicológico, que vai indicar se havia drogas no corpo de Edvan no momento do crime. O delegado ressaltou que tem até está quarta-feira (12) para concluir o inquérito e enviá-lo à Justiça. Na última sexta-feira, os pais de Mirella foram ouvidos pelo delegado responsável pelas investigações. Uma missa também será celebrada nesta terça-feira na capela da Universidade Católica de Pernambuco em homenagem a Mirella. A missa começará às 18h. Mirella formou-se em fisioterapia pela Unicap.

Gleide Ângelo assume Departamento de Polícia da Mulher na segunda-feira

A partir desta segunda-feira, a delegada Gleide Ângelo, que ficou conhecida por comandar investigações de casos importantes no estado, como os assassinatos da alemã Jennifer Kloker, da estudante Alice Seabra e da administradora Narda Alencar, assumirá o Departamento de Polícia da Mulher (DPMul). Gleide ficará no cargo que era ocupado pela delegada Inalva Regina. Desde novembro de 2015, Gleide estava à frente da Delegacia de Homicídios de Olinda. Antes disso, havia passado seis anos no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Gleide Ângelol em coletiva no DHPP. Foto: Paulo Paiva/DP

Gleide Ângelo em coletiva no DHPP. Foto: Paulo Paiva/DP

Gleide assume o cargo com a missão de investigar os crimes praticados contra mulheres em Pernambuco e prender os responsáveis pelos assassinatos ou agressões. De acordo com a Secretaria de Defesa Social (SDS), 58 mulheres foram assassinadas em Pernambuco entre janeiro e fevereiro deste ano. Os dados de março ainda não foram divulgados. Mudanças também na assessoria do DPmul, a delegada Julieta Japiassu vai ocupar a vaga que era da delegada Marta Rosana. As substituições foram publicadas no Diário Oficial do estado desta sexta-feira.

SDS abre inscrições para contratar 800 policiais civis aposentados

A Secretaria de Defesa Social (SDS) abriu o processo seletivo para a contratação de até 800 policiais civis aposentados nos cargos de comissário, agente e escrivão de polícia para a realização de funções administrativas no quadro da Polícia Civil de Pernambuco (PCPE). A remuneração mensal será de R$ 1,8 mil. Além disso, os selecionados terão direito a vale-refeição no valor de R$ 246,60 por mês, diárias (para casos de viagens a trabalho), férias remuneradas e abono natalino.

Foto: Wagner Oliveira/DP

Portaria foi assinada pelo secretário Angelo Gioia. Foto: Wagner Oliveira/DP

A jornada de trabalho será de oito horas diárias. A portaria assinada pelo secretário Angelo Gioia e publicada nesta terça-feira foi um projeto apresentado ainda na gestão do ex-chefe da Polícia Civil Antônio Barros. As inscrições acontecem desta quarta até sexta-feira (7). Os policiais civis aposentados designados terão exercício nas unidades definidas pela chefia da Polícia Civil. A ficha de inscrição está disponível no site www.policiacivil.pe.gov.br no link Ficha de Inscrição – Designação de Policiais Civis Aposentados.

Uma comissão coordenadora foi instituída para ser a responsável pela elaboração das normas e acompanhamento da execução do processo seletivo. Os selecionados serão contratados por até três anos e podem ter o contrato renovado por mais três anos. Os policiais civis serão responsáveis por prestar atendimento ao público nas permanências das unidades da PCPE, lavrar boletins de ocorrência, conduzir viaturas policiais e operar computadores. As regras para participar do processo seletivo estão no Boletim Geral da SDS, no site www.sds.pe.gov.br.

De acordo com o subchefe da PCPE, delegado Charles Gultiergue, os policiais aposentados receberão capacitação antes de iniciarem as atividades. “Esses policiais que serão selecionados ficarão nas delegacias enquanto os policiais da ativa serão voltados para as investigações, sobretudo de CVLIs e roubos. Antes de começarem a trabalhar, todos os aposentados serão capacitados na Academia de Polícia”, ressaltou Charles Gultiergue.

Ainda segundo o subchefe, os policiais aposentados serão distruíbos em todas as delegacias de Pernambuco. “A depender do tamanho da delegacia, cada uma vai receber, no mínimo, quatro novos policiais. Depois da capacitação, de forma gradativa, eles começarão a ser lotados nas delegacias. Isso deve acontecer ainda no mês de maio”, ponderou Gultiergue.

O presidente do Sindicato dos Policiais Civis, Áureo Cisneiros, acredita que a chegada dos policiais civis aposentados vai ajudar a melhorar a situação atual, no entanto, ele reforça a necessidade da convocação dos aprovados no último concurso. “Os aposentados farão trabalhos administrativos e isso vai fazer o pessoal ir para a rua trabalhar em investigações. Porém, a Polícia Civil tem um déficit de cinco mil policiais e é preciso de mais gente trabalhando em investigações”, destacou Cisneiros.

Edifícios do Rosarinho conectados com a polícia para conter violência

Assim como já acontece em Setúbal, na Zona Sul do Recife, vários edifícios localizados no bairro do Rosarinho, na Zona Norte, estão envolvidos num projeto em parceria com a Polícia Militar. Adesivos com as descrições “Propriedade monitorada – Rede de vizinhos protegidos” são vistos em dezenas de condomínios da região.

Placas estão em vários prédios do Rosarinho. Fotos: Julio Jacobina/DP

Placas estão em vários prédios do Rosarinho. Fotos: Julio Jacobina/DP

Ewerton Gayo é síndico de um desses prédios e conta que a comunicação entres os responspáveis pelos edifícios e o comando do 19º Batalhão da Polícia Militar, responsável pelo policiamento na área, é de grande importância. O projeto recebe ainda o apoio da Prefeitura do Recife e da Polícia Civil de Pernambuco e tem deixado os moradores do local mais confiantes.

“Entrei nesse grupo do WhatsApp em outubro do ano passado, mas o grupo já existia. Somente síndicos e subsíndicos podem fazer parte, o que já traz um certo filtro nas informações. Além disso, o grupo tem várias regras e o comando do batalhão da área faz parte também”, destacou Ewerton. Ainda segundo ele, informações sobre suspeitos de crimes, fotos e filmagens podem ser compartilhadas no grupo.

Projeto é realizado em parceria com os poderes públicos

Projeto é realizado em parceria com os poderes públicos

“Atualmente, existem 79 pessoas no grupo. Com isso, as informações compartilhadas pelos moradores e encaminhadas pelos síndicos ou subsíndicos podem ser avaliadas pelos responsáveis pelo policiamento na localidade”, destacou. “Sei que isso não é garantia de que vamos estar livres de assaltos, mas pelo menos ajuda a diminuir o medo de andar pelas ruas do bairro”, disse um morador do bairro que preferiu não ter o nome publicado.

Leia mais sobre o assunto em:

Moradores de Setúbal unidos para combater insegurança na localidade

Subtenente investigado por ejacular dentro de viatura da Polícia Militar

Um subtenente da Polícia Militar de Pernambuco está sendo investigado pela Corregedoria Geral da Secretaria de Defesa Social (SDS) por ter praticado gestos obscenos dentro de uma viatura da corporação. O caso ocorreu no dia 8 de fevereiro quando o policial estava sentado no banco traseiro de uma viatura. Nos bancos da frente do carro estavam o motorista e uma policial, ambos soldados e vestidos com a roupa de educação física.

Também está sendo apurado fato do oficial ter sido levado em casa. Foto: Rafael Martins/ Esp. DP

Também está sendo apurado fato do oficial ter sido levado em casa. Foto: Rafael Martins/ Esp. DP

Segundo a denúncia, o subtenente começou a se masturbar no veículo durante o trajeto até sua residência e enquanto os militares estavam conversando. Os policiais são lotados no Batalhão de Policiamento de Choque (BPChoque). O caso foi informado ao comando do batalhão e deixou os militares da unidade indignados.

O fato foi percebido pela policial, que começou a ouvir um barulho estranho na viatura. Na denúncia encaminhada à Corregedoria está também a informação de que o oficial teria apontado para o seu órgão sexual quando a policial percebeu seus movimentos. A Corregedoria apura ainda a informação de que essa não foi a primeira vez que aconteceu o mesmo fato envolvendo o oficial.

A policial tentou chamar a atenção do colega que estava dirigindo, mas o mesmo não percebeu o que estava acontecendo. Depois de um tempo, o subtente ejaculou no tapete da viatura. Após a viatura retornar ao batalhão, o tapete foi guardado e depois submetido a análise pericial, a qual comprovou a presença de esperma no objeto. Outro fato que será apurado pela Corregedoria é o do subtenente ter sido levado em casa numa viatura do batalhão.

A Secretaria de Defesa Social (SDS) informou através de uma nota que “a Corregedoria realizou uma investigação preliminar sobre a conduta de um subtenente, então lotado no Batalhão de Choque, em denúncia de fato ocorrido no início de fevereiro de 2017. A apuração embasará um Procedimento Administrativo Disciplinar (PAD) que será instaurado nesta semana, com publicação no Boletim Geral da SDS. A Corregedoria tem, a partir da publicação, 90 dias para concluir o PAD, no qual serão ouvidas a vítima e testemunhas, além do próprio policial. Também foi aberto, no âmbito da PM, um Inquérito Policial Militar e, enquanto aguarda, o oficial foi afastado do BPChoque, deixando de exercer atividades de policiamento.”

Moradores de Setúbal unidos para combater insegurança na localidade

Moradores da localidade de Setúbal, na Zona Sul do Recife, estão apostando na comunicação direta com a Polícia Militar para tentar reduzir a insegurança na área. Um grupo no aplicativo WhatsApp foi criado no início deste ano para que as informações sobre crimes ou atitudes suspeitas fossem compartilhadas em tempo real. A ferramenta tem agradado a quem vive no local e é vista com bons olhos pelos responsáveis por patrulhar a área.

Celso Calheiros fez mudanças em seu prédio para entrar no projeto. Foto: Marlon Diego/Esp. DP

Celso Calheiros fez mudanças em seu prédio para entrar no projeto. Fotos: Marlon Diego/Esp. DP

Vinte condomínios já estão inseridos no projeto. Alguns deles identificados com adesivos que informam “Área vigiada pela comunidade.” Após a troca de informações, residentes de Setúbal dizem que houve mudanças na rotina da comunidade. Uma reunião foi realizada ontem à noite entre comerciantes, moradores da área e o secretário de Segurança Urbana do Recife, Murilo Cavalcanti, com a finalidade de discutir outras medidas de segurança.

A advogada Paula Rubia Torres é uma das administradoras do grupo Setúbal Seguro. Ela conta que o meio de comunicação já possibilitou a captura de algumas imagens de situações de crimes que foram encaminhadas para a Polícia Militar. “O Setúbal Seguro nasceu a partir do Coletivo Setúbal (grupo que reúne moradores para realizar ações e debater temas) e tem dado bons resultados. Todos os prédios que estão no nosso grupo têm um celular com WhatsApp na portaria, através do qual os porteiros podem compartilhar o que estão vendo nas ruas dos edifícios em que trabalham. Depois disso, os administradores do grupo ressapam as informações para a polícia”, explicou Paula.

Rosana Melo diz que o projeto tem ajudado a mudar rotina da localidade

Rosana Melo diz que o projeto tem ajudado a mudar rotina da localidade

Moradora da Rua Izabel Magalhães, a corretora de imóveis Rosana Melo diz que o grupo tem ajudado muito na comunicação entre os residentes da localidade. “A violência está em todo lugar, e em Setúbal não é diferente. No entanto, com a criação desse grupo, nós passamos a vigiar a nossa região. O objetivo é tornar a moradia em Setúbal uma coisa gostosa. Queremos que o local seja atrativo e desejado também pela questão de segurança”, ponderou Rosana. Síndico do Edifício Montserrat, o jornalista Celso Calheiros promoveu mudanças no prédio para participar do projeto. “Estamos com um telefone com WhatsApp e vamos trocar as câmeras de monitoramento do prédio por equipamentos que possam captar boas imagens no período noturno”, contou.

O subcomandante do 19º Batalhão da Polícia Militar, major Paulo Matos, responsável pelo policiamento na Zona Sul do Recife, ressalta que a troca de informações com os moradores tem sido proveitosa. “Já existem alguns grupos como o Setúbal Seguro desde o início do ano passado. Após uma reunião com moradores da localidade, sugerimos a criação desse canal para que as informações chegassem de maneira mais rápida. Um dos grupos, por exemplo, foi dividido pelos próprios administradores em cinco quadrantes. Dessa forma, as informações são filtradas por eles e depois repassadas para nós. Isso nos ajuda bastante na identificação de suspeitos da prática de roubos em Setúbal”, destacou major Paulo.

Ainda segundo o oficial, o crime mais comum na localidade é o de assalto. “Em todo o ano de 2016, apenas um homicídio foi registrado em Setúbal e aconteceu durante uma reação a um assalto. Os roubos mais comuns naquela área são os de celulares, o que chamamos de catação”, explicou major Paulo. O 19º BPM também aplicou o projeto do comunicação via WhatsApp em Brasília Teimosa, na Rua Dhália, em Boa Viagem, e na rede hoteleira da Zona Sul.

Policial civil e marido são indiciados por cobrança de propina

A Polícia Civil indiciou por corrupção passiva uma agente lotada na Delegacia de Repressão ao Roubo e Furto de Veículos e o marido dela, que é motorista da Uber. O inquérito, concluído na última sexta-feira, já foi encaminhado à Justiça. O caso também está sendo acompanhado pela Corregedoria Geral da Secretaria de Defesa Social (SDS). De acordo com a investigação, a policial civil e o marido cobraram R$ 1 mil de propina para informar ao proprietário de um carro que havia sido roubado a sua localização.

Inquérito foi apurado pela Delegacia de Boa Viagem. Foto: Bruna Monteiro/DP

Inquérito foi apurado pela Delegacia de Boa Viagem. Foto: Bruna Monteiro/DP

O marido da agente encontrou um veículo abandonado, anotou a placa e verificou que o mesmo havia sido roubado. Depois disso, a policial obteve os dados do proprietário e repassou para o marido. A partir disso, o casal pediu dinheiro para dizer onde o veículo estava e marcou um encontro com o dono, no último dia 7 de fevereiro, no bairro de Boa Viagem. Após negociações, o valor acertado para indicar a localização do carro caiu para R$ 500.

A vítima do roubo, no entanto, acionou a Polícia Militar, que o acompanhou no dia do encontro. O carro havia sido roubado no dia 2 de fevereiro, também em Boa Viagem. Marido e mulher foram detidos no momento em que a vítima chegou com a PM. Na ocasião, a agente da Polícia Civil teria confessado que repassou os dados do proprietário do carro para o marido, informação somente obtida por policiais.

O caso foi encaminhado para a Central de Plantões, mas apenas o marido da policial foi atuado em flagrante. Ao ser apresentado em audiência de custódia, o homem acabou liberado. Agora, o casal vai responder pelo crime em liberdade. Já a policial ainda vai responder a um Processo Administrativo Disciplinar na Corregedoria.

Creche em Juazeiro (BA) terá o nome da menina Beatriz Angélica Mota

A Prefeitura de Juazeiro (BA) vai inaugurar, nesta sexta-feira (31), por meio da Secretaria de Educação e Juventude, a Creche Beatriz Angélica Mota Ferreira da Silva. A escolha do nome é uma forma de homenagear a menina assassinada com 42 facadas, aos sete anos, no dia 10 de dezembro de 2015, durante uma festa na escola em que estudava em Petrolina, Sertão. A unidade fica no Residencial Juazeiro I.

Beatriz tinha sete anos. Foto: Blog O Povo Com a Noticia/Reproducao da Internet

Beatriz tinha sete anos. Foto: Blog O Povo Com a Noticia/Reproducao da Internet

Para o pai de Beatriz, o professor Sandro Romilton Ferreira, será um dia muito especial para toda a família. “Será uma homenagem que trará muitas saudades e boas lembranças. Um nome eternizado e um amor vivo mais do que nunca. Será um dia muito especial em nossas vidas”, destacou Sandro. A Polícia Civil de Pernambuco divulgou recentemente a imagem do homem suspeito de ter matado a criança.

Para os investigadores, não há dúvidas de que o homem que aparece nas filmagens de câmeras de segurança de estabelecimentos próximos ao Colégio Nossa Senhora Auxiliadora, onde Beatriz estudava, é o assassino. O Disque-Denúncia está oferecendo R$ 10 mil de recompensa para quem tiver informações sobre a localização do homem.

Policia diz que este homem é o assassino. Foto: Shilton Araújo/Esp/DP

Policia diz que este homem é o assassino. Foto: Shilton Araújo/Esp/DP

DENUNCIE
Quem tiver informações que possam auxiliar a polícia na identificação do suspeito que aparece nas imagens pode entrar em contato com os investigadores através dos números abaixo:

Ouvidoria SDS – 181
WhatsApp – (87) 9 9911-8104
Disque-Denúncia
(81) 3421-9595
(81) 3719-4545
Recompensa R$ 10 mil

PCPE não vai mais fornecer telefones de delegados para a imprensa

Depois da mudança no formato de divulgação dos números de homicídios registrados em Pernambuco, que agora só são informados no dia 15 do mês seguinte, a Secretaria de Defesa Social (SDS), por meio da Polícia Civil de Pernambuco (PCPE), adotou uma nova estratégia de comunicação. Ou pelo menos de não comunicação. É que a partir de agora, a assessoria de imprensa da PCPE não está mais fornecendo números de telefones celulares de delegados para os jornalistas. Até então, a imprensa recebia uma lista com os números de celulares nos quais todos os delegados do estado poderiam ser encontrados, inclusive os telefones funcionais. Ou seja, quem tiver seus contatos que os guardem bem guardados.

akljakljdklas

Jornalistas terão que apelar para a sorte para falar com delegados. Arte: Jarbas/DP

A assessoria da PCPE diz que a mudança visa corrigir “desencontros de informações” e evitar que ocorram prejuízos às diligências e investigações. Ainda de acordo com a PCPE, o objetivo da medida é fazer com que a informação chegue a todos os meios de comunicação com qualidade e precisão. No entanto, todo mundo sabe que jornalista vive de informação e que quanto mais rápido essa informação é divulgada para a sociedade, melhor estamos cumprindo o nosso papel de informar e cobrar respostas. Eu, particularmente, cubro o setor de polícia e segurança pública desde 2002 e, desde sempre, os delegados costumam atender às ligações e falar somente aquilo que podem e quando estão podendo falar.

Nem sempre o tempo em que as informações são repassadas para as empresas de comunicação é o tempo da exibição de telejornais, da veiculação de programas de rádios ou de fechamento de jornais impressos. Temo que essa mudança prejudique a qualidade da informação. Pois, em algumas situações, estaremos correndo o risco de publicar notícias sem ter recebido as informações necessárias por parte de quem as estão investigando. Fica o alerta.

Caso do assassinato do procurador Pedro Jorge vira documentário

“Um homem honesto, religioso e excelente advogado.” É assim que familiares, amigos e ex-colegas de trabalho definem o procurador da República Pedro Jorge de Melo e Silva, assassinado no dia 3 de março de 1982, no bairro de Jardim Atlântico, em Olinda. As declarações sobre o membro do Ministério Público Federal (MPF) estão no documentário Pedro Jorge: uma vida pela justiça, que será lançado na próxima segunda-feira, às 19h30, no Cinema São Luiz, com entrada gratuita. Um total de 300 ingressos serão distribuídos na bilheteria do local uma hora antes do início da exibição.

Pedro Jorge foi morto em março de 1982. Fotos: Shilton Araújo/Esp/DP

Pedro Jorge foi morto em março de 1982. Fotos: Shilton Araújo/Esp/DP

Pedro Jorge foi morto com três tiros quando saía de uma padaria. O crime, que completou 35 anos este mês, foi praticado após ele ter investigado e denunciado os envolvidos no Escândalo da Mandioca, como ficou conhecida a investigação do desvio de dinheiro do Banco do Brasil de Floresta, no Sertão do estado, na década de 1980. O documentário que tem 41 minutos de duração, foi produzido pela Procuradoria da República da 5ª Região e pela Universidade Católica de Pernambuco (Unicap). No material apresentado ontem à imprensa estão diversas fotos do cotidiano de Pedro Jorge, inclusive com sua família.

Viúva e filhas do procurador da República foram entrevistadas

Viúva e filhas do procurador da República foram entrevistadas

“Eu não sabia que Pedro Jorge estava sendo ameaçado de morte por conta da investigação. Ele costumava atender muitos telefonemas, mas falava com a voz baixa e eu não escutava nada. Quando perguntava do que se tratava, ele falava que depois conversaria comigo. Mas nunca me revelou sobre o risco que estava correndo”, conta a viúva Maria das Graças Viegas.

Antes de ser assassinado, Pedro Jorge parou no Mosteiro de São Bento, onde conversou com dom Fernando Saburido. “Ele estava indo para casa e passou no mosteiro para me pedir um dinheiro adiantado, já que era o advogado de lá. Pouco tempo depois, quando estávamos rezando, chegaram para avisar ao abade dom Basílio Penido que Pedro Jorge havia sido assassinado. Ele morreu com um saco de pão e uma bolsa de leite nas mãos”, recorda no documentário o arcebispo de Olinda e Recife.

Documentário será exibido nesta segunda-feira, no Cinema São Luiz

Documentário será exibido nesta segunda-feira, no Cinema São Luiz

O média-metragem foi produzido sem fins lucrativos e traz depoimentos do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, dos ex-procuradores-gerais da República Geraldo Brindeiro e Aristides Junqueira e de dom Fernando Saburido. Também foram entrevistados a viúva de Pedro Jorge, Maria das Graças Viegas, as filhas do casal, Roberta e Marisa, que eram crianças na época do crime, e o advogado criminalista Gilberto Marques, que atuou na acusação dos suspeitos. Após a exibição do vídeo, será realizado um debate.

O documentário tem produção e direção das jornalistas Ana Cláudia Dolores e Cláudia Holder. Já a edição ficou por conta da Unicap. “É um material importante para toda sociedade e para os membros do Ministério Público Federal”, destaca o chefe da Procuradoria Regional da República da 5ª Região, Marcelo Alves.