Programa Polícia Amiga chega ao bairro de Guararapes em Jaboatão

O bairro de Guararapes, no município de Jaboatão dos Guararapes, recebe, nesta terça-feira à noite, o Programa Polícia Amiga, iniciativa que integra ações do Pacto pela Vida do governo do estado, e tem o objetivo de oferecer policiamento comunitário. O lançamento será às 20h, na quadra da Escola Carlos Drumond de Andrade, em frente à Praça do Córrego da Batalha, na Rua Maria do Carmo, no bairro de Guararapes.

Viaturas e PMs serão deslocados para o bairro.Foto: Arthur de Souza /Esp.DP/D.A Press.

Viaturas e PMs serão deslocados ao bairro.Foto: Arthur de Souza /Esp.DP/D.A Press.

Durante a cerimônia, será feita a entrega pela Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (SDS), da logística da operação para o funcionamento do Polícia Amiga. Serão entregues duas viaturas, duas motocicletas e dois celulares. Além disso, será lançado um efetivo de 12 PMs para atuar na Regional 7.

O prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Elias Gomes, juntamente com seu secretariado, receberá na solenidade os secretários estaduais Wilson Sales Damazio (SDS); Fred Amâncio (SEPLAG); e Aluísio Lessa (SEART); o Cel. José Lopes, e a Tenente-Coronel do 6° BPM que responde pela Área Integrada de Segurança 6 (Jaboatão dos Guararapes e Moreno). O Programa Polícia Amiga é uma parceria com o Governo Municipal, já que o objetivo é oferecer policiamento comunitário juntamente com a Guarda Municipal.

ASSINATURA

Antes da entrega dos equipamentos na Regional 7, o prefeito Elias Gomes vai receber, às 17h, na sede da Prefeitura, em Prazeres, as autoridades estaduais para firmar a primeira ação de integração das Políticas Intergovernamentais de Segurança, chamada de “Pacto pela Vida” pelo estado, e de “Pacto pela Paz” em Jaboatão. Em seguida, as autoridades seguirão para o lançamento do “Polícia Amiga”.

Com informações da assessoria de imprensa de Jaboatão

 

O tráfico que mata inocentes

Enquanto em Brasília os deputados irão discutir sobre a implantação das Unidades de Polícia Pacificadoras (UPPs), em Pernambuco, a guerra do tráfico segue fazendo vítimas. A mais recente foi um menino de apenas 10 anos. Ele morreu na manhã desta terça-feira após ser atingido por um tiro quando estava na sala de casa, no bairro do Jordão, no Recife. O caso aconteceu por volta das 21h da segunda-feira durante um tiroteio entre traficantes e policiais militares do 19º Batalhão.

Criança estava em casa com a família. Foto: Reprodução/Facebook

Criança estava em casa com a família. Foto: Reprodução/Facebook

Krevison da Costa Gomes estava assistindo à televisão com a família quando os tiros trocados entre traficantes e PMs foram ouvidos. O pai da família, que estava na cozinha fazendo um suco de laranja, pediu que todos se baixassem. Quando o tiroteio terminou, todos os familiares se levataram, menos a criança, que havia sido ferida por um disparo na testa. A casa da família ficou toda marcada de bala e várias manchas de sangue no chão.

O menino, que completou 10 anos no domingo passado, foi socorrido pelos próprios PMs e levado para o Hospital da Restauração (HR), mas não resistiu ao ferimento e morreu. De acordo com a família, os policiais, muito nervosos, chegaram a pedir água à família, logo após a ação. Durante a operação, um homem foi preso e dois adolescentes de 16 anos foram apreendidos. Com o trio foram encontrados três revólveres. Peritos do Instituto de Criminalística (IC) estiveram no local e encontraram várias cáspsulas .40 e marcas de tiros na casa.

Veja matéria completa no programa Cardinot Aqui na Clube, às 12h

Leia mais sobre o assunto em:

Implantação das Unidades Pacificadoras em todo o país é discutida

Implantação de Unidades Pacificadoras em todo país é discutida

A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado discute nesta terça-feira a política de implantação de Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) no Rio de Janeiro com o secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame. A audiência foi solicitada pelo presidente da comissão, deputado Otávio Leite (PSDB-RJ) e pelo deputado Efraim Filho (DEM-PB).

“Beltrame é reconhecido por implantar uma inovadora política pública no Rio de Janeiro, o que gerou visibilidade por seus resultados na mitigação da violência, embora, em grande parte do território do estado, os índices de violência recrudescem”, diz Otávio Leite.

UPP na Rocinha: 700 policiais militares para patrulhar 25 subcomunidades em cerca de 840 mil metros quadrados. Foto: Tânia Rêgo/ABr

UPP na Rocinha: 700 PMs para patrulhar 25 subcomunidades. Foto: Tânia Rêgo/ABr

Efraim Filho é o relator do projeto (PL 370/11) que amplia a política de pacificação para todo o País. A proposta do deputado Alessandro Molon (PT-RJ), prevê o estabelecimento de UPPs na retomada de áreas dominadas pelo narcotráfico, crime organizado e milícias de forma permanente em todo o País. A ideia é que a política de pacificação seja compartilhada entre as diversas secretarias estaduais de segurança, cultura, saúde, educação e áreas correlatas.

A reunião com o secretário do Rio de Janeiro, na opinião de Efraim Filho, permitirá identificar problemas e soluções encontrados pelo governo fluminense para facilitar esse processo nos demais estados.

O relator afirma que a experiência das UPPs passa fundamentalmente pela construção de uma outra polícia, que interaja positivamente com a comunidade. “Uma polícia que atua com base nos conceitos de policiamente solidário, preventivo, comunitário. Realmente uma polícia cidadã, que interage com a sociedade e procura se impor não simplesmente pela força mas pela presença de uma autoridade que justifica a ordem naquela região”, explica Efraim Filho.

Otávio Leite lembra que a população tem cobrado um desempenho melhor do governo no combate à criminalidade. “Em todas as pesquisas de opinião realizadas atualmente, a segurança pública figura como um dos principais temas de preocupação da população brasileira.”

Da Agência Câmara