Cabo da PM suspeito de praticar crimes é liberado pela Justiça

O cabo do 11º Batalhão da Polícia Militar de Pernambuco que havia sido autuado em flagrante na tarde da última sexta-feira por envolvimento no crime ocorrido na quinta-feira, no bairro de Campo Grande, no Recife, foi liberado pela Justiça após ser apresentado na audiência de custódia. A audiência aconteceu no Fórum Rodolfo Aureliano, na tarde desse sábado. A Polícia Civil não tem dúvidas que ele participou do crime que resultou na morte de um ex-presidiário e no ferimento à bala de outro policial militar. Outros três suspeitos estão sendo procurados.

De acordo com o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), o cabo Cláudio da Silva Melo teve a prisão relaxada pelo juiz plantonista Edimilson Cruz Júnior, que considerou a prisão ilegal por ter sido realizada várias horas após o fato.

Militar havia sido preso na sexta-feira. Foto: Thamires Oliveira/Esp. DP

Militar havia sido preso na sexta-feira. Foto: Thamires Oliveira/Esp. DP

O policial compareceu ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), no bairro do Cordeiro, na tarde da sexta-feira, acompanhado de um advogado. Em seu depoimento, o cabo permaneceu calado, mas havia sido autuado em flagrante por homicídio e tentativa de homicídio. O caso também está sendo acompanhado pela Corregedoria Geral da Secretaria de Defesa Social (SDS). Segundo a polícia, os suspeitos do crime chegaram em uma caminhonete de cor preta. As vítimas estavam dentro de um Mitsubishi ASX quando foram atingidas pelos disparos.

O cabo Eduardo Leite da Silva, 38 anos, lotado no 16º BPM, foi baleado de raspão na cabeça e passa bem. A esposa dele também estava no carro, mas não foi atingifa. Já o motorista, Luciano Pereira da Silva, 38, conhecido como Lúcio da Bomba, morreu no Hospital da Restauração (HR), para onde ambos foram socorridos.

Fuga em massa na Penitenciária Barreto Campelo em Itamaracá

A polícia ainda está à procura dos detentos que fugiram ontem à noite após um ataque contra a Penitenciária Barreto Campelo, em Itamaracá. Cerca de 20 detentos podem ter escapado. De acordo com a polícia, um grupo de bandidos chegou à unidade por volta das 21h20 e atirou contra a guarita número 6. Enquanto isso, comparsas usaram marretas para fazer um buraco no muro da guarita 5 – que, segundo os agentes penitenciários, está desativada – com o objetivo de possibilitar a fuga.

PMs estiveram na unidade prisional. Foto: Edvaldo Rodrigues/DP/Arquivo

PMs estiveram na unidade prisional. Foto: Edvaldo Rodrigues/DP/Arquivo

Até as 23h45, quatro detentos já tinham sido recapturados. A PM fechou o acesso à ilha e revistou os veículos, incluindo ônibus. Em uma dessas blitze, foram encontrados quatro suspeitos com munições calibre 44, toucas ninjas e uma granada. Todos foram detidos.
A Secretaria de Ressocialização de Pernambuco adiantou que a direção foi à unidade carcerária e que a contagem oficial dos presos só será feita hoje. Somente depois do procedimento, o órgão vai se pronunciar a respeito das fugas.

O secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico, esteve na unidade carcerária e adiantou que fará hoje uma solicitação de dispensa de licitação para a realização de obras emergenciais no presídio.  “O presídio é antigo e desestruturado. Tentei fazer uma licitação para obras e não consegui. Vou ao Ministério Público pedir a dispensa para que sejam feitas obras de imediato na Barreto Campelo.”

Médico
Na manhã de ontem, uma perseguição policial entre as cidades de Paulista e Abreu e Lima terminou na prisão de um médico que trabalha na Barreto Campelo. No veículo de Carlos José Vasconcelos Vitoriano de Mendonça, um Santa Fé, a polícia encontrou um facão, uma faca de caça, um canivete, duas toucas ninjas, um revólver, três munições e dois bonés de segurança patrimonial, além de uma quantidade de dinheiro ainda não contabilizada. Ainda não se sabe se o médico estava envolvido no plano.

Nota da Seres

A Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres) informa que na noite desta quarta, 20, foi registrada uma ação de resgate de detentos da Penitenciária Barreto Campelo, em Itamaracá, através de um buraco aberto próximo à guarita 5. Na ocasião, houve troca de tiros com a PM da guarda externa mas detentos conseguiram fugir da unidade. A Seres abrirá sindicância para apurar o ocorrido.

A Seres informa que o número de foragidos será repassado após o levantamento nominal. Foram acionados o Grupo de Operações e Segurança, o Batalhão da Polícia de Radiopatrulha, a Companhia Independente de Operações Especiais e o 17º Batalhão da Polícia Militar, além de representantes da Seres.

PMs mudam foto do perfil do Facebook em sinal de luto

Como forma de protesto e também de mostrar que estão de luto pela morte do soldado da Polícia Militar de Pernambuco (MPPE) Romário Campos da Silva, 24 anos, vários policiais militares trocaram as suas fotos do perfil do Facebook.

Romário foi assassinado na madrugada desse sábado durante um tiroteio no Conjunto Habitacional Abençoada por Deus, no Cordeiro. O sepultamento do corpo acontece neste domingo.

Leia mais sobre o assunto em:

Corpo de soldado da PM morto em tiroteio será sepultado neste domingo

Corpo de soldado da PM morto em tiroteio será sepultado neste domingo

Catorze pessoas foram detidas para investigação de participação na morte do soldado do 13º Batalhão de Polícia Militar Romário Campos da Silva, 24 anos. O policial morreu depois de levar um tiro na axila esquerda, na madrugada deste sábado (29), em uma troca de tiros dentro do Conjunto Habitacional Abençoada por Deus, no bairro do Cordeiro. O sepultamento do corpo será neste domingo.

Dos suspeitos detidos, sete tiveram a participação direta nos dois tiroteios registrados dentro da comunidade entre a noite da sexta-feira e a madrugada do sábado. Esse foram encaminhados ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Os outros seguiram para a Central de Plantões, na Avenida Agamenon Magalhães.

O policial morreu depois de levar um tiro em uma troca de tiros dentro do Conjunto Habitacional Abençoada por Deus (Alcione Ferreira/DP/D.A Press)

Segundo a polícia, cinco mulheres e nove homens foram detidos. Desses, três são menores de idade. Jeferson da Silva Wanderley, 18 anos, e Alyson Rodrigo Lira Oliveira, 22 anos, são suspeitos de atirar contra uma viatura da PM que fazia ronda de rotina no habitacional, por volta das 21h. “Essa guarnição saiu do local após o disparo de arma de fogo. Por volta da 0h30, recebemos oito chamados de perturbação ao sossego. Ao chegarem, as viaturas foram recebidas a tiros”, explicou o tenente coronel Ebenézer Machado, comandante do 13º BPM, responsável pela área.


As duas viaturas encaminhadas ao local receberam apoio de outras quatro viaturas. Em uma delas, estava Romário. Segundo a Polícia Civil, Alyson e outros quatro elementos estariam envolvidos no tiroteio que resultou na morte da vítima. Darlan Neves Mesquita da Silva, 18 anos, Ítalo Henrique de Farias, 18, conhecido como Ítalo Bruxo, e dois adolescentes de 17 e 16 anos. “Vamos instaurar um inquérito para saber os detalhes da ocorrência, como quem disparou contra o policial e qual a participação de cada um dos envolvidos”, afirmou o delegado Sérgio Ricardo Vasconcelos.

Durante a operação, foram recuperados a pistola da vítima e um celular roubado de outro PM, além de outros três revólveres e munições. Participaram das prisões, 50 policiais militares e 12 civis. “O local é conhecido por ser ponto de distribuição de drogas e disputa de território do tráfico. Os suspeitos confessaram que estavam fumando maconha e tomando comprimidos e iriam cometer um homicídio de um rival na noite da ocorrência”, detalhou Sérgio Vasconcelos.

Uma mulher identificada como Severina Albenise da Silva, 38 anos, também foi detida por estar com um revólver e um prato de “pó virado” (crack e ácido bórico) dentro de casa. A polícia desconfia que essa arma teria sido utilizada no tiroteio e Severina tenha escondido a pedido dos bandidos. O corpo de Romário foi conduzido para a cidade natal dele, Calumbi, no interior, onde será velado e enterrado na manhã deste domingo (30).

Do Diariodepernambuco.com.br

Arma ilegal dentro de presídio e um saldo de cinco detentos feridos

Um conflito entre dois grupos rivais no Presídio Juiz Antônio Luiz Lins de Barros, que faz parte do Complexo do Curado (antigo Aníbal Bruno) deixou pelo menos cinco detentos feridos à bala na tarde dessa quinta-feira. Segundo informações da Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres), os baleados foram socorridos e encaminhados à emergência do Hospital Otávio de Freitas, no bairro de Tejipió, na Zona Oeste do Recife, mas nenhum correria risco de morte.

Foi grande a movimentação ontem à tarde na frente da unidade prisional (PAULO PAIVA/DP/D.A PRESS)

O tumulto aconteceu no pavilhão P, mas foi controlado em menos de 30 minutos por agentes penitenciários e policiais militares que fazem a segurança da unidade prisional. De acordo com informações extraoficiais, os grupos brigaram pela liderança do pavilhão. Na unidade ainda prevalecem os comandos dos chamados “chaveiros”, presos que ditam as regras.

Ainda não se sabe quem passou a arma para os presos. Foto: Anônimo

Ainda não se sabe quem passou a arma para os presos. Foto: Anônimo

A arma utilizada para disparar os tiros contra as vítimas, um revólver calibre 38, ainda está sob análise. Ela foi encaminhada para perícia do Instituto de Criminalística. Será investigada a origem dela, pois uma das possibilidades que surgiu, em meio à confusão, foi de que alguém jogou a arma para dentro da unidade.

Transferência
À noite, policiais do plantão da Força-Tarefa do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) foram ao presídio para começar a ouvir os depoimentos dos presos. Há pelo menos cinco suspeitos de envolvimento na briga já identificados. Eles podem ser autuados por tentativa de homicídio. A possibilidade de transferência do Complexo de Curado também não está descartada.

Os nomes dos detentos que participaram da briga ainda não foram divulgados pela assessoria de comunicação da Seres. A Secretaria Estadual de Saúde informou que não poderia informar a situação dos pacientes que estão no Hospital Otávio de Freitas, pois estão custodiados pela polícia.

Polícia segue buscas para prender suspeitos de assalto em Bom Conselho

As buscas pelos criminosos que assaltaram a agência dos Correios de Bom Conselho e provocaram um intenso tiroteio no fim da manhã da quarta-feira seguirão durante o fim de semana. Segundo o comandante do Gati, capitão Gilson Cerqueira, as equipes estão em diligências ininterruptas para tentar prender os suspeitos.

“Além dos PMs do Gati, os policiais da Rocam e os do Serviço Reservado do 9º Batalhão estão empenhados nessas capturas. As polícias Civil e Federal dão apoio às investigações. Estamos recebendo algumas informações da população sobre o paradeiro dos suspeitos pelo assalto”, afirmou Cerqueira.

Assaltantes desapareceram na zona rural do município (REPRODUCAO DA TV CLUBE)

Quem tiver pistas de onde os assaltantes possam estar escondidos deve entrar em contato com a polícia através dos números 190 ou (87) 3761-8300. A Polícia Militar de Alagoas também apoia as buscas aos criminosos. A morte de Alexandra Machado deixou a população de Bom Conselho de luto.

A cidade parou para acompanhar a missa e o sepultamento do corpo na quinta-feira. Desde o momento do crime, o assunto tem sido o mais comentado localmente. Alexandra era professora e atualmente estava trabalhando como diretora de uma escola da rede municipal de ensino. Ela era casada e deixou uma filha de três anos.

As balas perdidas, os inocentes e a urgência das UPPs

Parece cada vez mais urgente que Pernambuco passe a implantar um modelo que foi adotado pelo Rio de Janeiro no quesito segurança pública. Na tarde dessa terça-feira, um menino de apenas 10 anos levou um tiro na cabeça enquanto estava brincando com colegas. O garoto foi atingido, segundo a polícia, durante um tiroteio entre criminosos, possivelmente traficantes. No início do mês, um menino também de 10 anos morreu após ter sido baleado dentro de casa numa troca de tiros entre bandidos e policiais militares.

Até quando vamos assistir a ações como essas que só vitimam pessoas inocentes? Duas crianças, uma morta e uma em estado gravíssimo e a sensação de que o controle da situação está nas mãos da criminalidade. E se existisse aqui as Unidades de Polícia Pacificadoras (UPPs) que subiram os morros cariocas e tomaram conta de tudo? E se polícia pernambucana tivesse mais presente nas comunidades com a finalidade de mudar essa realidade violenta?

 

Duas mortes e nenhuma segurança nas agências bancárias

Mais um assalto a banco em Pernambuco. Dessa vez com o registro de duas mortes. Um policial militar e um dos suspeitos do crime morreram após a troca de tiros numa agência em Rio Formoso. Onde estão as medidas de segurança para evitar ataques a essas instituições? Qual vai ser a resposta do governo para essa onda sem freio de violência nos bancos?

Ninguém consegue mais estar tranquilo dentro de um banco. Quem entra numa agência já pensa em sair logo para não topar de frente com uma quadrilha que teima em desafiar a polícia e comete crimes cada dia mais ousados. Confira abaixo matéria publicada no Diario de Pernambuco desta quinta-feira sobre o caso que assustou o município da Mata Sul do estado.

Corpo do suposto assaltante foi levado para o IML. Foto: Teresa Maia/DP/D.A.Press

“Onde este mundo vai parar, meu Deus?” Essa era a frase que um policial repetia, com as mãos sobre o rosto, à beira de uma estrada próxima a Rio Formoso, na Mata Sul do estado. Às 15h de ontem (quarta-feira), ele e pelo menos mais seis homens choravam a notícia da morte de um companheiro de farda. Antônio Carlos de Lima, 43, foi submetido a uma cirurgia, mas não resistiu aos ferimentos ocasionados por um tiroteio, durante uma tentativa de assalto a uma agência do Bradesco, no centro do município. O incidente, ocorrido pela manhã, também tirou a vida de um dos criminosos envolvidos. O corpo de Vanclécio da Silva, 42, só foi retirado da calçada em frente ao banco às 14h, sob os olhares curiosos e amedrontados da população.

A ação da quadrilha foi bem planejada. Homens seguiram o gerente da agência de sua residência, em Barreiros, até Rio Formoso, cerca de 20km. No banco, três deles obrigaram o funcionário e os clientes que aguardavam na porta a entrar na agência. As pessoas ficaram trancadas numa sala. Os demais bandidos ficaram do lado de fora. Eles estavam armados com quatro revólveres calibre 38 e uma pistola .40, armas que foram apreendidas pela polícia. A movimentação suspeita, inclusive com a abertura do banco antes do horário normal (10h), chamou a atenção de pessoas que passavam pela área. Inaugurado no segundo semestre de 2012, o Bradesco se localiza na praça central do município.

“Quando perceberam que havia algo estranho, acionaram a polícia e duas viaturas vieram. Os bandidos começaram a disparar e houve a troca de tiros”, contou o capitão Ramos Lima, comandante do policiamento da região. Durante o tiroteio, Vanclécio da Silva tentou se proteger, correndo para entrar na agência. Ainda na calçada, entretanto, levou um tiro nas costas e morreu. Outros dois bandidos, cujos nomes ainda não foram divulgados pela polícia, ficaram feridos e foram encaminhados para o Hospital Dom Helder Câmara. Um deles, atingido apenas por estilhaços de vidro, já recebeu alta e foi preso. O outro, em estado mais delicado, continua internado, sob custódia, no Hospital da Restauração.

“A insegurança tomou conta de Rio Formoso desde 2011. Agora, já é comum ter assalto por aqui. Já foi na loja de celulares, nos correios, no mercadinho, na lotérica”, lamentou uma jovem. A investigação da tentativa de assalto ficará sob a responsabilidade da Delegacia de Repressão ao Roubo. O delegado Mauro Cabral foi até Rio Formoso, mas só irá se pronunciar sobre o caso depois de terminar o registro da ocorrência na capital. (Tiago Cisneiros)

 

Dois suspeitos de matar PM em Itamaracá estão presos

Dois homens foram presos por suspeita de participação de uma tentativa de assalto que resultou em um tiroiteio e na morte do policial militar Moisés Félix da Silva, 35 anos, do Grupamento de Ações Táticas Itinerante do 17º BPM. Os suspeitos estavam em atendimento em hospitais da Região Metropolitana do Recife (RMR), após serem feridos na troca de tiros, quando foram identificados e detidos em flagrante. Um deles está internado no Hospital Getúlio Vargas (HGV) e o outro foi encaminhado para o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que investiga o caso.

O crime aconteceu no início da noite dessa terça-feira de carnaval, na Praça do Pilar, na Ilha de Itamaracá, Litoral Norte do estado. Pelo menos outras seis pessoas também ficaram feridas. Tudo começou quando o soldado da PM teria reagido a uma tentativa de assalto, durante o desfile do Bloco As Katraias de Itamaracá, o que causou correria entre os foliões. Cinco dos seis feridos foram encaminhados para o Hospital Miguel Arraes, em Paulista e um para o Hospital da Restauração, no Recife. De acordo com as testemunhas, o PM estava de folga participando do desfile do bloco carnavalesco quando teria reagido à tentativa de um roubo de um cordão que usava no pescoço.

No Facebook de vários amigos de Moisés, o perfil está marcado com a palavra Luto. Nos comentários, amigos, militares e policiais civis demonstram sua indignação com a morte do soldado e pedem que os culpados não fiquem soltos. Ainda nos depoimentos, os relatos sobre Moisés são de que era um excelente policial e bom companheiro. A primeira postagem sobre a morte feita por uma amiga do soldado teve quase 300 compartilhamentos até a manhã desta quarta-feira.

 

Uma vida interrompida por mais uma bala perdida

 

Leonardo tinha apenas 11 anos, estava na 5ª série e gostava de criar galinhas no quintal de casa. Era um menino esperto e o caçula da casa. Nesse domingo, o corpo do garoto foi sepultado sob lágrimas inconsoláveis dos pais, da irmã mais velha e de dezenas de parentes e conhecidos. Leonardo tinha uma vida inteira pela frente, mas o destino não deixou ele seguir em frente. Depois de pegar sua bicicleta no último sábado para comprar ração para alimentar os pintos que tinha no quintal, deu de cara com a morte. Foi atingido por uma bala perdida e não resistiu. Foi baleado durante um tiroteio promovido por homens ainda desconhecidos pela polícia que estavam atirando contra outra pessoa. O alvo dos tiros também morreu. Além deles, uma menina de 14 anos também foi baleada na mão. Após o enterro do corpo de Leonardo, conversei com a pai dele por telefone. Veja abaixo matéria publicada nesta segunda-feira no Diario de Pernambuco.

 

Leonardo foi baleado quando estava na Rua da Cana, em Araçoiaba (FOTOS: TV CLUBE/REPRODUÇÃO)
Leonardo foi baleado quando estava na Rua da Cana, em Araçoiaba

Um menino de apenas 11 anos morreu após ter sido vítima de uma bala perdida. Leonardo José Bezerra havia saído de casa para comprar ração para os pintos que criava no quintal de sua casa, no município de Araçoiaba, na Região Metropolitana do Recife, quando foi ferido. O garoto foi atingido por um tiro na cabeça quando passava de bicicleta em um local onde um homem estava sendo perseguido e foi assassinado. O corpo de Leonardo foi sepultado no final da tarde desse domingo, no Cemitério de Araçoiaba. Além dele e do homem que foi morto, uma adolescente de 14 anos foi atingida na mão. A menina não corre risco de morte. O caso foi registrado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e será investigado, a partir desta segunda, pela Delegacia de Araçoiaba. O crime aconteceu na tarde do último sábado e a polícia ainda não tem informações sobre os suspeitos.

Segundo a mãe do menino, a dona de casa Rosilene Maria, cinco minutos após o filho ter saído de casa, os vizinhos vieram contar que ele tinha sido baleado. “Ele estava indo comprar a comida dos bichinhos dele. Pegou a bicicleta e não deu nem tempo dele chegar ao supermercado. Quando a gente correu para ver onde ele estava, meu filho ainda estava vivo e caído no chão. Não sei porque fizeram uma coisa dessas com minha criança”, questionou Rosilene. Segundo a polícia, o alvo dos disparos era um homem identificado como Elias Augusto Silva da Costa, 24, que não era morador da região. Após ser atingido na cabeça, Leonardo chegou a ser socorrido e levado para um hospital em Araçoiaba e depois foi transferido de helicóptero para o Hospital da Restauração (HR), mas não resistiu ao ferimento.

 

Lei do silêncio no local

Luciano não sabe quem atirou no seu filho
Luciano não sabe quem atirou no seu filho

Os moradores das proximidades da Rua da Cana, onde aconteceu o crime, não deram informações sobre as pessoas suspeitas de terem promovido o tiroteio que resultou nas duas mortes e no ferimento da jovem. “Foi uma fatalidade. Meu menino tinha acabado de sair de casa na bicicleta dele e perdeu a vida desse jeito. E o pior de tudo é que as pessoas não dizem quem foram os responsáveis por isso. Nem esse rapaz que foi assassinado era da comunidade”, lamentou o pai do menino, Luciano José Bezerra.

O filho mais novo do casal Luciano e Rosilene, Leonardo era um menino tranquilo e estudioso. Estava cursando a 5ª série e gostava de criar galinhas no quintal de casa. “A mãe dele foi fazer a feira mais cedo, mas como já estava com muito peso acabou não trazendo a comida para os pintos. Então, pedimos para ele ir comprar. Agora perdi o meu único filho homem. É uma dor muito grande que nós estamos passando.”