Comissão rejeita detectores de metal obrigatórios em estádios e ginásios na Copa

A Comissão de Turismo e Desporto rejeitou na última quarta-feira o Projeto de Lei 2282/11, do ex-deputado Nelson Bornier, que torna obrigatória a instalação de detectores de metal nas dependências dos estádios de futebol com capacidade para mais de 15 mil torcedores. Segundo o autor, o objetivo da proposta é impedir a entrada de armas de fogo nos estádios.

O parecer do relator, deputado Romário (PSB-RJ), foi contrário à matéria. Ele lembra que o Estatuto de Defesa do Torcedor (Lei 10.671/03) já determina que a responsabilidade pela segurança do torcedor em evento esportivo é do clube detentor do mando do jogo e de seus dirigentes, que deverão solicitar ao Poder Público competente a presença de agentes públicos de segurança.

Segundo o parlamentar, atualmente nada impede que os governos estaduais, por meio de seu equipamento policial, optem por utilizar detectores de metais portáteis nos procedimentos de revista. “Isso já é feito em eventos culturais e mesmo desportivos em que se espera um número fora do padrão de participantes”, disse.

Romário considera “mais apropriado garantir a cada localidade a liberdade de avaliar suas próprias necessidades de acordo com o histórico de conflitos e desafios que tem de enfrentar”. “A obrigatoriedade do uso do detector do tipo pórtico gera riscos e custos e não significa necessariamente menos acidentes e fatalidades”, opinou.

Da Agência Câmara

Pernambuco registrou 2.293 assassinatos de janeiro até setembro

O mês de setembro de 2013 computou um total de 245 assassinatos em todo o estado de Pernambuco. Apesar de alto, o número foi comemorado pela Secretaria de Defesa Social (SDS). O balanço foi apresentado na manhã desta quinta-feira durante a reunião semanal do Pacto pela Vida, na Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag). Segundo o secretário Wilson Damázio, a redução no número de Crimes Violentos Letais Intencionais no mês de setembro deste ano em comparação ao mesmo mês do ano passado foi de 20,3%.

Foto: Wagner Oliveira/DP/D.A Press

Números foram divulgados nesta quinta-feira. Foto: Wagner Oliveira/DP/D.A Press

Ainda de acordo com os dados da SDS, setembro foi o 5º mês deste ano com menos de 250 assassinatos registrados no estado. Em setembro de 2012, um total de 304 crimes foram registrados pela polícia. Também nos números da SDS, de janeiro a setembro deste ano, 2.293 pessoas foram mortas de forma violenta em Pernambuco.

No balanço apresentado na coletiva de imprensa, a SDS informou que 20 municípios do estado além do distrito de Fernando de Noronha ainda não teriam registrado nenhum crime de homicídio neste ano. “Esse resultado faz parte do esforço das ações que estão sendo desenvolvidas pela Pacto pela Vida, desde 2007, o estado tem trabalhado pesado para reduzir os índices de criminalidade”, frisou o secretário Wilson Damázio.

Governo do estado apresenta redução de assassinatos um dia após crime que chocou Pernambuco

Enquanto os secretários de Defesa Social e de Planejamento e Gestão do estado, Wilson Damázio e Fred Amâncio, estiverem anunciando que Pernambuco fechou o mês de setembro com redução de 20,3% na taxa de Crimes Violentos Letais Intencionais os parentes da professora Alexandra Machado, 33 anos, estarão cuidando do enterro do corpo de mais uma vítima da violência urbana. O sepultamento deve acontecer ainda nesta quinta-feira.

De acordo com a Secretaria de Defesa Social (SDS), o mês de setembro ganhou destaque em 2013, como o mês com a maior redução de homicídios em relação ao mesmo período do ano passado. Para os familiares de Alexandra, no entanto, outubro chegou com uma marca que eles jamais esquecerão. A professora chegava à escola onde a filha estuda para buscá-la quando foi feita refém e assassinada na manhã dessa quarta-feira, no Agreste do estado.

Antes mesmo que pudesse se encontrar com a menina, foi rendida por um bandido e terminou sendo vítima de um dos mais covardes crimes que já viram os moradores de Bom Conselho, a 287 km do Recife, em um dia de terror que parou a cidade. Alexandra virou refém de um dos dois assaltantes que fugiam da polícia após invadir a agência local dos Correios. Obrigada a dirigir seu carro em direção à zona rural, foi assassinada a tiros durante o percurso e teve seu corpo abandonado ao lado de uma criança de um ano também feita refém.

As polícias Federal, Militar e Civil procuram os responsáveis pelo dia de terror na cidade de 45 mil habitantes, que parou em meio à perseguição policial e notícias desencontradas. Até o início da manhã desta quinta-feira, nenhum suspeito do crime que revoltou a população da cidade havia sido localizado pela polícia.

Leia matéria completa da edição impressa do Diario de Pernambuco desta quinta-feira.