Governo diz que não haverá nomeações de policiais por enquanto

Após a publicação no blog sobre o questionamento da contratação dos aprovados no concurso da Polícia Militar de Pernambuco do ano de 2009, o governo do estado enviou uma nota em resposta às pessoas que esperam fazer parte da PM e também da Polícia Civil do estado.

Aprovados sonham em usar a farda da PM e trabalhar. Foto: Carolina Braga/Esp. DP/D.A Press

Aprovados sonham em usar a farda da PM e trabalhar. Foto: Carolina Braga/Esp. DP/D.A Press

Confira a nota na íntegra:

A Secretaria de Administração informa que, através da Portaria Conjunta SAD/SDS nº101 de 31 de agosto de 2009, foi aberto o concurso público destinado ao preenchimento de 2.100 vagas para soldado da Polícia Militar de Pernambuco. Até o dia 18 de fevereiro de 2013 haviam sido nomeados* 2.100 aprovados. Em 1º de março de 2013, através do Ato nº 1089, mais 1.390 soldados foram nomeados*, perfazendo um total de 3.490 contratações.

A SAD informa ainda que de 2007 até hoje, foram nomeados* 2.807 servidores da Polícia Civil, entre agentes e escrivães. Só em 2013, foram 611contratações. No início de 2011, por meio de um processo na Mesa Específica de Negociação, o governo de Pernambuco implementou política salarial para a categoria referente ao quadriênio 2011-2014, resultando nos seguintes reajustes: reestruturação do Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV) para todos cargos da Polícia Civil em 2011 e reajustes lineares de 8,4%, 8,14% e 14, 55%, para os anos de 2012, 2013 e 2014, respectivamente.

No início do governo Eduardo Campos a remuneração média dos agentes e correlatos era de R$ 1.598,26. Atualmente, essa remuneração média é de R$ 4.020,85. A pactuação trouxe recuperação salarial com ganho de 108% acima da inflação do período. 

Pensando ainda na melhoria dos serviços, o atual governo, com o intuito de profissionalizar o quadro, alterou o requisito de ingresso de nível médio para nível superior. Tendo em vista essa realidade, a SAD esclarece que não há previsão de novas nomeações. Estas poderão ocorrer de acordo com a demanda da Secretaria de Defesa Social e dentro da validade do concurso.

*Nomeações – A Secretaria de Administração esclarece que a diferença entre o número total de nomeados e a quantidade do efetivo deve-se a motivos como pedidos de exoneração, óbitos, reprovações no curso de formação, desistências, etc. Em setembro, o efetivo de soldados e alunos da PM referente ao último concurso é de 3.330 e de 2.286 o de agentes e escrivães da Polícia Civil.

Detento faz máscara com rosto de agente para tentar fugir do presídio

Depois da presidente Dilma Rousseff e do ministro Joaquim Barbosa virarem máscaras para serem usadas no carnaval, a moda parece ter despertado o talento de muita gente. Inclusive, de pessoas que estão atrás das grades. É que um detento que cumpre pena por assalto no Presídio Padrão de Santa Rita, em João Pessoa, na Paraíba, confeccionou, com restos de sabão neutro e sabonete, uma máscara que retrata exatamente o rosto de um dos agentes penitenciários da unidade de saúde.

 (Divulgação)

As informações são da Secretaria de Administração Penitenciária da Paraíba, que após uma operação pente fino, fez uma busca em todas as celas na última terça-feira e encontrou o artefato. Segundo o secretário Walber Virgolino, eles receberam denúncias anônimas sobre um plano de fuga e por isso decidiram realizar a ação. A secretaria acredita que o detento pretendia fugir usando a máscara.

O agente que teve o rosto copiado não quis ser identificado, mas o próprio secretário confirmou que os traços são bastante semelhantes. Já o detento, negou a tentativa de fuga e disse que a máscara era uma homenagem ao agente.

Para Virgolino, o episódio precisa ser investigado e, caso seja confirmado o plano de fuga, o presidiário deve ser responsabilizado pelo crime. Ele afirma, no entanto, que pelas habilidades apresentadas, o detento poderá cursar aulas de artesanato, de modo a aperfeiçoar sua vocação e, quem sabe, encontrar uma profissão no futuro.

Com informações do jornal Estado de Minas

PMs de Bom Conselho serão intimados por delegado federal

Os cinco policiais militares que participaram da perseguição aos dois homens que assaltaram a agência dos Correios, no município de Bom Conselho, no Agreste do estado, e que resultou na morte da professora Alexandra Machado, 33 anos, serão intimados a depor nos próximos dias. No primeiro depoimento, os militares já afirmaram que não sabiam que havia reféns no carro além do assaltante.

Foto: Blog do Tiago Padilha/Reproducao da Internet

Carro da professora ficou crivado. Foto: Blog do Tiago Padilha/Reproducao da Internet

Segundo o capitão Gilson Cerqueira, que comanda as buscas aos criminosos, o delegado da Polícia Federal (PF) que investiga o caso entrou em contato com ele para dizer que iria intimar o cabo e os quatro soldados que trocaram tiros com o ladrão que dirigia o Fiat Uno onde estavam a professora e uma criança de apenas um ano. O delegado quer saber se o tiro que matou Alexandra foi disparado por um dos PMs ou pelo suspeito e ainda se a bala teve entrada pelas costas ou pelo peito da vítima.

PMs fizeram e ainda seguem fazendo buscas na cidade. Foto: TV Globo/Reprodução

PMs fizeram e ainda seguem fazendo buscas na cidade. Foto: TV Globo/Reprodução

“O delegado entrou em contato comigo para dizer que eles iriam ser intimados para um segundo depoimento. No entanto, não falou em datas. E quanto às buscas aos suspeitos do assalto, nossas equipes continuam em diligências”, afirmou Cerqueira. A PF deve liberar até o final desta semana o retrato falado dos dois suspeitos.

Enquanto isso, o delegado aguarda o resultado do laudo tanatoscópico e do exame de balística. Alexandra foi encontrada morta dentro do próprio carro, sentada no banco do passageiro. Um bebê que também estava no veículo não foi ferido. Um dos ladrões entrou no carro da professora quando ela chegava à escola da filha para levá-la para casa. O crime chocou os moradores da cidade de pouco mais de 45 mil habitantes.