Delegado Tiago Cardoso é demitido da Polícia Civil de Pernambuco

Foi publicada no Diário Oficial do estado no dia 22 deste mês a demissão do delegado da Polícia Civil Tiago Cardoso da Silva. O policial havia sido preso em março de 2012 sob a acusação de comandar um esquema criminoso na Delegacia de Repressão à Pirataria. Tiago chegou a ser preso, mas conseguiu um alvará de soltura e responde em liberdade.

Tiago Cardoso responde em liberdade. Foto: Cecilia de Sa Pereira/Aqui PE/D.A Press

Tiago Cardoso responde em liberdade. Foto: Cecilia de Sa Pereira/Aqui PE/D.A Press

O ato de Nº 3097 foi assinado pelo governador do estado, Eduardo Campos. O texto relata o seguinte: “o governador do estado, no uso das suas atribuições resolve, demitir, com fulcro no inciso XII do artigo 49 da Lei nº 6.425, de 29 de setembro de 1972, e alterações, tendo em vista solicitação da Secretaria de Defesa Social, com fundamento no Processo Administrativo Disciplinar nº 10.107.1020.00016/2012.1.2, instaurado por meio da Portaria nº 156/2012 – Cor.Ger./SDS, publicada no Diário Oficial do Estado nº 065, de 05 de abril de 2012, no Despacho Homologatório nº 024/2013 – CG/SDS, de 25 de fevereiro de 2013, do Corregedor Geral, da Secretaria de Defesa Social, e no Parecer
nº 0109, de 03 de abril de 2013, da Procuradoria Consultiva, da Procuradoria Geral do Estado, o Delegado de Polícia TIAGO CARDOSO DA SILVA, matrícula nº 272.503-7, em razão da prática das transgressões disciplinares previstas nos incisos VII e VIII do artigo 31 da Lei supracitada”.

Aguinaldo Fenelon comemora arquivamento da PEC 37

“O Congresso Nacional ouviu o clamor das ruas e deu uma resposta à altura dos anseios do povo brasileiro”. O comentário foi feito pelo procurador-geral de Justiça, Aguinaldo Fenelon, em Brasília, ao comemorar o arquivamento da Proposta de Emenda Constitucional nº 37/2011 (PEC 37), que retirava do Ministério Público Brasileiro o poder investigatório. Para Fenelon, “a derrota da PEC 37 representa a vitória do povo brasileiro, com o fortalecimento do estado democrático de direito”.

Ainda na avaliação do procurador-geral, o Brasil não será mais o mesmo depois das manifestações cívicas promovidas pelos estudantes brasileiros em todo o País. “De agora em diante, ninguém poderá mais de ir contra aos anseios mais legítimos da sociedade, que tem no Ministério Público seu guardião”.

Dois dias antes das manifestações em Pernambuco, Fenelon reuniu as principais lideranças do movimento estudantil para manifestar apoio do Ministério Público aos protestos e orientar os estudantes a fazer um ato cívico sem violência, que servisse de exemplo ao País. “No nosso estado tivemos uma manifestação das mais pacíficas em todo o Brasil”, finalizou.

Com informações da assessoria de imprensa do MPPE

 

Câmara rejeita PEC 37 e texto será arquivado

O Plenário rejeitou nessa terça-feira, por 430 votos a 9 e 2 abstenções, a Proposta de Emenda à Constituição 37/11, do deputado Lourival Mendes (PTdoB-MA), que atribuía exclusivamente às polícias Federal e Civil a competência para a investigação criminal. Todos os partidos recomendaram a rejeição do texto.

Confira como votou cada deputado

Para facilitar a derrota da proposta, os deputados votaram apenas o texto principal, prejudicando o texto da comissão especial. O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, destacou que a proposta foi pautada em Plenário por acordo fechado entre todos os líderes partidários. “Os líderes poderiam ter optado por adiar, mas decidiram votar esta noite”, declarou.

Alves afirmou que a decisão do Plenário significa o “reencontro” dos deputados com as ruas. “Nós somos parlamentares que vêm das ruas do Brasil. Então, temos que estar atentos ao que elas dizem para esta Casa fazer o que o povo brasileiro quer.”

O presidente da Câmara afirmou ainda que, depois da rejeição da PEC 37, o compromisso da Casa é votar o fim do voto secreto para cassação de mandatos (PEC 196/12). “É um compromisso que nós temos e vamos pautar até o final deste período legislativo”, disse Alves.

Investigações criminais
De acordo com o texto da PEC 37, o Ministério Público poderia ser impedido de realizar investigações criminais por conta própria e deveria atuar apenas como titular da ação penal na Justiça.

…Continue lendo…

Comandante da Polícia Militar de Pernambuco é cantor e músico

O efetivo de 18 mil homens da Polícia Militar de Pernambuco (PMPE) está sendo comandado por um cantor. O coronel que está ocupando o mais alto posto da corporação toca violão desde os 16 anos e canta músicas de pop rock e forró tradicional. Até deixar o Sertão para encarar o novo desafio, o coronel Carlos Pereira, 48, fazia parte da Banda Thempus, que costumava fazer apresentações em eventos beneficentes, principalmente em Petrolina. Recém empossado como novo comandante da PM, o oficial revelou que a banda deu uma parada por enquanto.

Coronel (de chapeú) toca violão e canta. Foto: Reprodução/Facebook

Coronel (de chapeú) toca violão e canta. Foto: Reprodução/Facebook

De agora em diante, o coronel cantor tem como maior desafio levar à frente a vontade do governo do estado em seguir cumprindo as metas do programa estadual de segurança Pacto pela Vida e motivar um efetivo que não tem se mostrado satisfeito com as condições de trabalho e com a remuneração recebida.

Com uma vasta experiência no policiamento do Sertão, Carlos Pereira adiantou que vai dar continuidade ao trabalho que estava sendo desenvolvido pelo coronel Luís Aureliano e investir ainda mais na filosofia de Polícia Comunitária. “Um dos pontos fortes da minha gestão vai ser a ampliação da interação da polícia com a comunidade. Esse é um exemplo que tem dado certo em vários estados do Brasil e em alguns países do exterior.

Banda Thempus deu um tempo Foto: Reprodução/Facebook

Banda Thempus deu um tempo Foto: Reprodução/Facebook

Vamos incentivar os PMs e fazerem visitas aos moradores e comerciantes de todos os bairros para que eles possam sentir o que acontece nessas localidades e começar a traçar estratégias de combater a violência no lugar”, comentou o coronel. Ainda segundo o oficial, a polícia passará a ter mais contato com a população, a presença será mais efetiva e serão realizadas reuniões com a comunidade. “A partir desse trabalho, poderemos atacar os problemas de cada localidade”, ponderou o comandante da PM.

Outro ponto forte da nova gestão é a proposta de fortalecer a integração da corporação com outros órgãos como a Polícia Civil, Polícia Científica, Corpo de Bombeiros, Poder Judiciário e Ministério Público de Pernambuco (MPPE). “Além disso, os municípios estão sendo estimulados a participarem mais efetivamente do Pacto pela Vida. Inclusive, será oferecida uma premiação para as cidades que conseguirem os melhores resultados”, ressaltou o comandante.

Questionado sobre a discussão da implantação de Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) em todos os estados do Brasil, coronel Carlos Pereira disse não achar necessária a iniciativa em Pernambuco. “As UPPs funcionam bem em territórios onde os criminosos dominam 100% da área, o que não é o caso do nosso estado. Não existe uma única área em Pernambuco onde a polícia não possa entrar”, ressaltou.

Coronel Pereira quer PM perto da população. Foto: Wagner Oliveira/DP/D.A Press

Coronel Pereira quer PM perto da população. Foto: Wagner Oliveira/DP/D.A Press

Artista
Casado e pai de três filhos, o coronel Carlos Pereira foi obrigado a deixar de lado a carreira de músico. “Sempre gostei muito de tocar violão e de cantar. Nossas apresentações eram em eventos filantrópicos. Mas, agora, a Banda Thempus deu um tempo. Entre os integrantes, apenas eu sou militar. Os demais são músicos. De agora em diante meu tempo vai ser dedicado ao comando da Polícia Militar e uma coisa que também precisamos dar atenção é à criminalidade na Zona Rural do Sertão. Lá, os crimes de proximidades ainda acontecem em grande número. Precisamos combater isso e a programa Polícia Comunitária vai ser fundamental nesse processo”, finalizou.