Polícia quer saber como noiva do promotor executado sobreviveu

A polícia ainda tem dúvidas de como a advogada Mysheva Ferrão Martins, 30 anos, conseguiu escapar do atentado ao carro onde ela se encontrava, juntamente com o noivo, o promotor Thiago Faria Soares, e um tio, na manhã da última segunda-feira. O promotor foi morto com quatro tiros de espingarda calibre 12, na deserta PE-300.

O diretor de Operações Especializadas da Polícia Civil, Joselito Kerhle, que passou a semana no município de Águas Belas à frente das investigações, confirmou que há dúvidas quanto à dinâmica de como Mysheva conseguiu sobreviver.“Não está claro se deixaram ela fugir ou se ela conseguiu escapar. Esse ponto ainda precisa ser esclarecido”, contou.

Mais uma vez ontem, a noiva do promotor assassinado foi ouvida pelos investigadores (PAULO PAIVA/DP/D.A PRESS)

A advogada já foi ouvida quatro vezes pelos investigadores, sendo a última ontem. Ao todo, foram três longos depoimentos e uma conversa informal, em sua casa, em Águas Belas. Ela afirmou que também deveria ter sido executada, caso não tivesse se fingido de morta no momento do crime. De forma confusa, ela também já teria afirmado que pulou do carro quando viu que os matadores, em um Corsa, retornavam após ter disparado o primeiro tiro que atingiu o braço do noivo.

A advogada contou ainda que teria se escondido numa vala, ao lado da pista. “Precisamos ter certeza dessas informações”, disse Kerhle. O tio de Mysheva, que está sendo poupado dos depoimentos por ter problemas de saúde, conseguiu escapar dos tiros sem ferimentos. De acordo com a polícia, Mysheva tem apenas uma escoriação em um dos joelhos.

Polícia Civil de Pernambuco entregará intimações via Correios

A Polícia Civil de Pernambuco apresenta nesta segunda-feira, às 9h, na Delegacia de Boa Viagem, o projeto piloto para a nova sistemática de intimações no estado. Trata-se de um contrato de prestação de serviço com a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, que, a partir de agora, ficará a responsável pela entrega das intimações policiais.

O projeto piloto faz parte do Programa de Modernização da Polícia Civil e deverá agilizar o serviço e otimizar os recursos humanos e materiais.  A princípio, será contemplada a Delegacia de Boa Viagem. A intenção da polícia é de abranger  todas  as delegacias da Capital e Região Metropolitana.

Cerca de 330 intimações são expedidas por mês pela Delegacia de Boa Viagem. Com a intimação enviada através dos Correios, a Polícia Civil pretende dar mais celeridade e qualidade na atividade da polícia judiciária, além de proporcionar o bem-estar do cidadão. A economia dos recursos humanos e materiais resultarão em mais de 72%.

Com informações da assessoria de imprensa da Polícia Civil

Missa em memória do promotor será celebrada neste domingo

Será celebrada na manhã deste domingo, na Capela de São Sebastião, no centro de Águas Belas, a missa de sétimo em memória do promotor Thiago Faria Soares, 36 anos, que foi assassinado com quatro tiros de espingarda, na última segunda-feira. A celebração está prevista para as 10h, na igreja que fica a poucos metros da casa de Mysheva Ferrão Martins, noiva de Thiago.

Missa será na capela de São Sebastião. Foto: Wagner Oliveira/DP/D.A Press

Missa será na capela de São Sebastião. Foto: Wagner Oliveira/DP/D.A Press

Já que Thiago era natural do Rio de Janeiro, é provável que nenhum familiar dele participe da missa. Mysheva e seus familiares devem comparecer à igreja. A celebração será realizada pelo padre Evandro da Silva. Na noite deste sábado, a capela estava lotada de fiéis e alguns deles comentavam sobre a celebração pela alma do promotor. Algumas pessoas, inclusive, disseram que iriam participar. “Estou hoje aqui na missa para pedir o fim da violência em nossa cidade. Amanhã (domingo), estarei aqui novamente”, disse uma dona de casa.

 

Noiva do promotor Thiago Faria está sob proteção da Polícia Militar

A noiva do promotor Thiago Faria Soares, assassinado no início dessa semana, Mysheva Ferrão Martins, passou a ter escolta da Polícia Militar. A proteção foi uma determinação da Secretaria de Defesa Social (SDS), diante também das ameaças que teriam sido feitas a ela pelo fazendeiro José Maria Rosendo Barbosa, segundo funcionários da Fazenda Nova, apontado pela polícia como o mandante do assassinato do promotor. A advogada contou aos delegados que recebeu a informação, depois do crime, de que uma pessoa teria ouvido comentários de que o noivo seria morto com um tiro de 12 na cabeça.

Mysheva tem prestado vários depoimentos. Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press

Mysheva tem prestado vários depoimentos. Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press

Diante das muitas dúvidas que estão surgindo nas investigações, é possível que, neste final de semana, a advogada seja novamente ouvida. Funcionários da fazenda relataram que Zé Maria teria declarado que iria usar uma faca para “rolar o pescoço dela e colocar a cabeça em cima de uma estaca do lado de fora da fazenda”. Ainda em conversa com os policiais, Mysheva contou que não está esperando um filho do promotor, como se comenta na cidade de Águas Belas. Apesar disso, e de a cerimônia do casamento marcada para o dia 1º de novembro não ter acontecido, ela poderá pedir a pensão junto ao MPPE.

Leia mais sobre o assunto em:

Suspeito de mandar matar promotor se reuniu com pistoleiros antes do crime

Disque-Denúncia oferece R$ 10 mil por pista sobre mandante do crime

Onze promotores acompanham caso de Itaíba

Suspeito de mandar matar promotor se reuniu com pistoleiros antes do crime

Uma reunião entre três pistoleiros e o fazendeiro José Maria Pedro Rosendo Barbosa, o Zé Maria, ocorrida 15 dias antes do assassinato do promotor Thiago Faria Soares, além das imagens de câmeras de pontos comerciais de Águas Belas que mostram José Maria e Edmacy Cruz Ubirajara circulando pelo município na manhã do crime, fazem a polícia relacionar diretamente a dupla ao assassinato.

Polícia continua buscando suspeitos. Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press

Polícia continua buscando suspeitos. Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press

No entanto, embora a disputa de terra entre o fazendeiro Zé Maria e Mysheva Martins continue sendo a principal linha de motivação para a execução do promotor, a polícia disse que ainda não descartou nenhuma outra possibilidade para o assassinato. Ontem, a Polícia Civil afirmou que existe a possibilidade de Zé Maria, que ainda está foragido, ter sido o motorista do veículo que interceptou o carro do promotor, e de onde saíram os disparos de espingarda calibre 12 que o mataram.

Já as imagens que foram solicitadas de um estabelecimento na PE-300, via onde o atentado ocorreu, foram encaminhadas para o Instituto de Criminalística (IC), no Recife, para serem melhoradas. A polícia informou que elas têm baixa qualidade. Segundo o chefe da Polícia Civil do estado, delegado Osvaldo Morais, através dos depoimentos colhidos até agora, foi constatado que havia vários rumores na localidade de que o promotor seria executado por defender os interesses da noiva.

Parceria para prevenir drogas nas escolas municipais do Recife

O Recife deverá receber um reforço no combate de prevenção às drogas. Até o ano de 2016, todos os alunos da rede municipal de ensino estarão participando do Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd), da Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (SDS). A parceria entre o governo do estado e a prefeitura foi firmada nesta semana, através das Secretarias de Educação e Segurança Urbana. A previsão é de que as aulas aconteçam entre a primeira semana de novembro e a primeira quinzena de dezembro.

Parceria foi firmada entre a PCR e SDS. Foto: Inaldo Lins/PCR/Divulgação --

Parceria foi firmada entre a PCR e SDS. Foto: Inaldo Lins/PCR/Divulgação

As aulas serão ministradas por policiais militares e envolverão não só os alunos, mas também os professores, gestores e pais. “Temos algumas ações de prevenção às drogas nas escolas, mas esse programa é mais amplo. É uma ótima oportunidade de combater logo cedo essa problemática”, disse a gerente de projetos especiais da Secretaria de Educação, Fernanda Morais.

O curso terá duração total de duas semanas e será realizado com crianças da educação infantil e do 5º e 7º anos nos 13 bairros prioritários do Pacto Pela Vida do Recife. A meta deste ano é capacitar 5 mil alunos. “Esse programa é fundamental para combatermos essa epidemia, principalmente a do crack, e evitar que mais crianças e jovens caiam no mundo das drogas”, afirmou o secretário de Segurança Urbana, Murilo Cavalcanti.

Com informações da assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança Urbana do Recife

Disque-Denúncia oferece R$ 10 mil por pista sobre mandante do crime

Disque-Denúncia Pernambuco, em parceria com a Secretaria de Defesa Social (SDS), está oferecendo até R$10 mil para quem tiver informações que levem à prisão de José Maria Pedro Rosendo Barbosa (Zé Maria de Mané Pedo), apontado como mandante do assassinato do promotor Thiago Faria Soares. O suspeito já possui mandato de prisão preventiva expedido pela Justiça.

O oferecimento da recompensa é um estímulo a mais para que a população repasse informações que levem à localização do suspeito. “Esperamos contar mais uma vez com a participação ativa da população. O serviço se coloca à disposição para ser uma ponte entre o público e a polícia, recebendo dados que possam auxiliar efetivamente com a resolução do caso”, explica a superintendente do Disque-Denúncia Pernambuco, Carmela Galindo.

Até o momento, já foram recebidas cinco denúncias sobre o possível paradeiro do acusado. Todas foram encaminhadas imediatamente para a SDS. Das ligações para o serviço, três informações chegaram pela central da Região Metropolitana do Recife e as outras duas pela unidade do serviço no Agreste.

Para denunciar, basta telefonar para 3421-9595, na Região Metropolitana do Recife e Zona da Mata Norte, ou para (81) 3719-4545, no interior do Estado. Também é possível repassar informações no site da central (www.disquedenunciape.com.br), que permite o envio de fotos e vídeos. O serviço funciona durante 24h, todos os dias da semana. O anonimato é garantido.

Com informações da assessoria de imprensa do Disque-Denúncia

Promotor falou com noiva depois de ser baleado e tentou fugir dos assassinos

O promotor de Justiça Thiago Faria Soares, 36 anos, ainda chegou a falar com a noiva Mysheva Freire Ferrão Martins, 30, depois de ter sido atingindo pelo primeiro tiro, na manhã da última segunda-feira, no Agreste do estado. O Diario teve acesso a parte do depoimento da advogada no qual ela relata os últimos momentos vividos pelo promotor antes dele ser baleado outras três vezes e morrer no próprio carro.

Thiago Faria foi executado dentro do próprio carro. Foto: Anônimo

Thiago Faria foi executado dentro do próprio carro. Foto: Anônimo

À polícia, Mysheva relatou que o executor do noivo, o agricultor Edmacy Cruz Ubirajara, que está preso no Cotel, estava sentado na janela do carro com uma arma apontada para a caminhonete importada do noivo, quando fez o primeiro disparo. Segundo ela, o automóvel onde ela estava, juntamente com o tio, vinha na PE-300 a cerca de 70 km/h. Todas as informações serão confirmadas ou não por meio de uma reprodução simulada da execução, que ainda não tenha data prevista para acontecer.

Ainda segundo o depoimento da advogada, ela e o noivo vinham na estrada conversando sobre a festa de casamento deles, que aconteceria no próximo dia 1º de novembro, quando o veículo com os criminosos se aproximou. Um deles começou a atirar contra o carro onde estavam. “Depois de levar o primeiro tiro, no braço esquerdo, o promotor ainda chegou a chamar o nome da noiva. Ela passou a mão atrás da cabeça para ver se havia sido atingida também.

O promotor parou o carro, que chegou a estancar. Nesse momento, Mysheva começou a gritar pedindo para Thiago ligar o carro e acelerar para tentar fugir”, contou um policial que participa das investigações. Enquanto Thiago tentava girar a chave na ignição, Mysheva disse que mexia na marcha para tentar fazer o veículo dar partida. As tentativas foram em vão e os criminosos acabaram se reaproximando do automóvel para concluir a execução.

MPPE designou 11 promotores para acompanhar caso de Itaíba

O grupo de promotores de Justiça montado para atuar no inquérito policial do assassinato do promotor de Itaíba, Thiago Faria Soares, foi escolhido a dedo. A equipe reúne especialistas nas áreas criminal, especialmente organizações criminosas, e conflitos agrários, pontos que se destacam nas investigações do crime ocorrido segunda-feira.

Promotor Marcelo Grenhalgh foi transferido de São José da Coroa Grande para assumir Itaíba, onde chegou ontem (PAULO PAIVA/DP/D.A PRESS)

Para tratar do inquérito ou de pontos decorrentes dele, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) designou 11 promotores com atuação no estado, em Rondônia e Minas Gerais. Antes mesmo da nomeação, publicada no Diário Oficial do Estado desta sexta-feira, o promotor Marcelo Grenhalgh de Cerqueira Lima e Moraes Penalva Santos circulou ontem em Itaíba. Ele será o titular da promotoria e também atuará na força-tarefa montada para dar celeridade aos processos civis e criminais dos 22 municípios da 5ª Circunscrição Ministerial, no Agreste.

Ao todo, o procurador geral de Justiça Aguinaldo Fenelon designa em três portarias 17 promotores para atuar na região. O trabalho de investigação não individualizado diminui a atenção sobre um promotor como ocorreu aparentemente com Thiago. O promotor assassinado pediu a suspeição no julgamento de 16 processos envolvendo a família da noiva, a advogada Mysheva Martins. Ele, inclusive, seria transferido para Jupi, uma maneira de agilizar tais processos pendentes. Com as nomeações, uma das prioridades será analisar processos envolvendo a família Martins, de forte influência na região.

Revezamento
Dos 17 promotores, 10 vão trabalhar em ações ligadas ao inquérito policiail. Esse grupo inclui promotores do Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas (GNCOC), que integra o Conselho Nacioanal de Procuradores Geral (CPG). Dois são de Rondônia, Eriberto Gomes Barroso e Otávio Xavier Junior, e um de Minas Gerais, Fábio Galindo Silvestre. Outros sete, onde também está incluído Marcelo Grenhalgh, vão se revezar nos trabalhos nos 22 municípios da região. Esse novo modelo é uma tentativa de deixar mais impessoal o trabalho dos promotores e prevenir ameaças e homicídios.

Do Diario de Pernambuco

Aprovado prazo máximo de um mês para incineração de drogas

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) aprovou, em caráter conclusivo, o Projeto de Lei 1598/07, do deputado Lincoln Portela (PR-MG), que torna obrigatória a incineração de drogas apreendidas no prazo máximo de um mês. O relator, deputado João Campos (PSDB-GO), acatou o substitutivo da Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado e apresentou subemenda para fazer correções de técnica legislativa.

Atualmente, a Lei 11.343/06 prevê normas apenas para a incineração de plantações de substâncias ilegais. O relator destacou que a legislação não traz regras suficientemente claras para a destruição de drogas apreendidas. “Hoje somente são destruídas após todo o curso do processo penal”, ressaltou.

A proposta seguirá agora para o Senado, exceto se houver recurso para que seja analisada pelo Plenário da Câmara.

Da Agência Câmara