Corpo de empresário foi exumado e será levado para Goiás

A família do empresário Wodisney Rodrigues Martins, 33 anos, morto em maio, conseguiu na Justiça o direito de exumar o corpo que estava enterrado como indigente no Cemitério Parque das Flores, no Sancho. O desembargador José Américo Pereira de Lira autorizou a exumação para que a família leve o empresário ao estado de Goiás, sua terra natal.

Corpo da vítima de homicídio passou 12 dias sem identificação no IML. Restos mortais serão enterrados no estado de Goiás (REPRODUCAO TV CLUBE)

Depois de ter passado 12 dias sem identificação no necrotério do Instituto de Medicina Legal (IML), o corpo de Wodisney, que só foi identificado por familiares a partir de fotografias, acabou sendo enterrado como indigente.

A decisão do desembargador foi dada no dia 29 de maio, mas o corpo de Wodisney só foi exumado no dia 6 de junho. “Agora o corpo está no IML novamente. Estamos esperando apenas uma documentação para levá-lo para Goiás”, revelou a viúva do empresário, Roberta Câmara Vieira. Segundo o advogado João Donato, foi preciso fazer um novo pedido à Justiça para alterar a certidão de óbito do empresário.

“Como na certidão dele ainda consta como indigente, terá que ser feita outra, com a real identificação, para que o corpo possa ser finalmente enterrado pelos parentes”, esclareceu Donato.

Wodisney Rodrigues foi encontrado morto no bairro de Candeias, em Jaboatão dos Guararapes, no dia 9 de maio. A princípio, o crime pode ter sido latrocínio (assalto seguido de morte), isso porque o carro, o notebook e a carteira da vítima não foram localizados.

Segundo o delegado Ramon Teixeira, que investiga o caso, a polícia já sabe o que motivou o assassinato e descobriu toda a dinâmica do crime. “A investigação está muito bem encaminhada, mas não posso dar muitos detalhes. Estamos trabalhando para prender os suspeitos”, disse o policial.

Trio conhecido como canibais vai a júri popular em outubro

A juíza Maria Segunda Gomes de Lima, da Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Olinda, decidiu que os réus Jorge Beltrão Negromonte da Silveira, Isabel Cristina Torreão Píres e Bruna Cristina Oliveira da Silva vão a júri popular pelo homicídio quadruplamente qualificado, vilipêndio e ocultação de cadáver de Jéssica Camila da Silva Pereira.

Acusados estão presos. Crimes foram descobertos há um ano. Foto: Reprodução/TV Clube

Acusados estão presos. Julgamento será em Olinda. Foto: Reprodução/TV Clube

A sentença de pronúncia foi proferida pela magistrada na última sexta-feira e já contém a data do julgamento: dia 20 de outubro deste ano, às 9h. A defesa dos réus ainda pode recorrer da decisão da juíza.

Segundo a denúncia do Ministério Público de Pernambuco, a vítima Jéssica Camila da Silva Pereira, então com 17 anos, foi assassinada pelos acusados no mês de maio de 2008, em Olinda. O corpo da adolescente foi partido em pedaços. O trio guardou a carne para consumo humano e ocultaram os restos mortais. Após o crime, os réus também passaram a criar a filha da vítima. Uma das acusadas, Bruna Cristina, ainda assumiu a identidade de Jéssica Camila.

“Ante o exposto, por tudo o mais que dos autos consta, nos termos do art. 93, inciso IX, da Constituição Federal e do art. 413, do Código de Processo Penal, pronuncio os acusados Jorge Beltrão Negromonte da Silveira, Isabel Cristina Torreão Píres e Bruna Cristina Oliveira da Silva devidamente qualificados na presente ação”, escreveu a juíza na sentença de pronúncia. Os acusados vão permanecer presos até o dia do júri popular.

Os três réus estão sendo acusados por homicídio quadruplamente qualificado (por motivo fútil, com emprego de meio cruel, sem dar chance de defesa à vítima e para assegurar impunidade, ocultação e outros crimes) e ainda vilipêndio e ocultação de cadáver.

Com informações da assessoria de imprensa da TJPE

Estado, finalmente, divulga lista dos 2 mil candidados do concurso da PMPE 2009

A Academia Integrada de Defesa Social – ACIDES, considerando o previsto na Portaria Conjunta SAD/SDS nº. 101, de 31 de agosto de 2009, prorrogada pela Portaria Conjunta SAD/SDS n° 09 de 18 de fevereiro de 2013 e a deliberação Ad Referendum da Câmara de Política de Pessoal – CPP nº. 045, de 01 de abril de 2014, autorizando a convocação de mais 2.000 (dois mil) candidatos, para prosseguirem no certame público destinado ao preenchimento de cargos de Soldado da Polícia Militar de Pernambuco,

RESOLVE:

1. Divulgar a lista dos candidatos, que serão convocados para serem submetidos aos Exames de Aptidão Física, Exames Médicos e Avaliação Psicológica, todos eliminatórios, conforme o itens b, c e d da Portaria Conjunta SAD/SDS nº. 101, de 31 de agosto de 2009.

2. Na listagem fornecida pela instituição que à época realizou o certame público, os candidatos estão relacionados por ordem de classificação e por critério de desempate de maior idade, respeitando o limite previsto na Lei Complementar nº. 108, de 14 de maio de 2008, alterada pela na Lei Complementar nº. 256, de 17 de dezembro de 2013 (no máximo, 28 anos de idade completos na data de inscrição no concurso público).

Confira a lista clicando AQUI

Porto de Galinhas tem novos equipamentos para reforçar segurança

Moradores, turistas e frequentadores da praia de Porto de Galinhas, no Ipojuca, litoral sul pernambucano, poderão ficar um pouco mais tranquilos no quesito segurança. Isso porque a Secretaria Municipal de Defesa Social fez a entrega de novos equipamentos para aumentar o patrulhamento nas ruas.

Equipamentos começaram a funcionar na semana passada. Fotos: Prefeitura do Ipojuca/Divulgação

Equipamentos começaram a funcionar na semana passada. Fotos: Prefeitura do Ipojuca/Divulgação

A Guarda Municipal foi contemplada com seis novas bicicletas com kits compostos de acessórios de proteção, além de rádio de comunicação e lanternas. Além disso, a praia de Porto de Galinhas também ganhará dois novos tablados em madeira, que servirão de base para os quadriciclos que circulam pela localidade.

A Prefeitura do Ipojuca também disponibilizou novos equipamentos de isolamento, utilizados principalmente em eventos públicos e que tem o objetivo de conter a multidão, formando um corredor para evitar a invasão.

Com informações da assessoria de comunicação do Ipojuca.

Morte do promotor de Itaíba voltará a ser investigada pela Polícia Civil

Depois de passar quatro meses engavetado, o inquérito que apura a morte do promotor de Justiça Thiago Faria Soares, 36 anos, morto em 14 de outubro do ano passado, voltará a ser investigado. No entanto, frustrando o pedido dos promotores do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MPPE, a Polícia Civil seguirá com a apuração e não a Polícia Federal.

Thiago Faria foi morto a caminho do trabalho. Foto: Reprodução/Facebook

Thiago Faria foi morto a caminho do trabalho. Foto: Reprodução/Facebook

Isso porque o Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou o pedido de liminar formulado pela Procuradoria-Geral da República, que após acordo com a Secretaria de Defesa Social (SDS) entendeu que as investigações poderiam passar a ser feita pela Polícia Federal. O pedido de federalização do caso foi feito pelo MPPE, em fevereiro deste ano, por achar que a Polícia Civil não estaria realizando um bom trabalho.

Homem que matou Thiago Faria estaria no banco traseiro do carro. Fotos: Paulo Paiva/DP/D.A Press

Homem que matou Thiago Faria estaria no banco traseiro do carro. Fotos: Paulo Paiva/DP/D.A Press

Em sua decisão, o ministro Rogerio Schietti Cruz disse que não encontrou motivos para o deslocamento de competência da investigação. E ressaltou ainda “que o instituto de deslocamento de competência é utilizado em situações excepcionalíssimas, em que efetivamente houver demonstração concreta de risco de não cumprimento de obrigações decorrentes de tratados internacionais de direitos humanos dos quais o Estado brasileiro seja parte, até para não se banalizar esse instrumento e não esvaziar a competência da Justiça Estadual.” O ministro encerra a decisão afirmando que “à vista do exposto, nego provimento ao agravo regimental.”

Neste sábado, o assassinato do promotor completa oito meses. Desde o início da apuração, apenas um homem foi preso, por suspeita de ser o executor do promotor. O agricultor Edmacy Cruz Ubirajara passou 60 dias sob custódia no Cotel e foi solto por falta de provas. O cunhado dele, o fazendeiro José Maria Pedro Rosendo, apontado pela polícia como o mandante do assassinato, está com a prisão decretada e segue foragido apesar do Disque-Denúncia oferecer recompensa de R$ 10 mil por informações que levem à sua captura.

Agricultor perdeu 16 kg enquanto esteve preso. Foto: Ricardo Fernandes/DP/D.A Press

Agricultor perdeu 16 kg enquanto esteve preso. Foto: Ricardo Fernandes/DP/D.A Press

Thiago foi assassinado na rodovia PE-300, entre as cidades de Águas Belas e Itaíba, quando seguia para o trabalho. Ele estava acompanhado da noiva, a advogada Mysheva Martins, e um tio dela. Ambos escaparam sem ferimentos.

Juíza nega pedido de revogação da prisão do médico Cláudio Gomes

A segunda tentativa da defesa de tirar o médico Cláudio Amaro Gomes, 57 anos, da prisão também não teve resultado posivito. Ontem, a juíza Inês Maria de Albuquerque, da 1ª Vara do Tribunal do Júri de Jaboatão dos Guararapes, negou o pedido de revogação da prisão temporária do suspeito.

Médico está detido no Cotel. Foto: Ricardo Fernandes/DP/D.A Press

Médico está detido no Cotel. Foto: Ricardo Fernandes/DP/D.A Press

Segundo a polícia, o médico é suspeito da morte do cirurgião Artur Eugênio de Azevedo Pereira, morto no último dia 13 de maio. Cláudio Amaro e o seu filho, Cláudio Amaro Gomes Júnior, 32, também suspeito de ter participado do crime, estão presos desde o dia 3 de junho no Centro de Triagem (Cotel), Abreu e Lima.

No início da semana, o pedido de habeas corpus para o médico já havia sido negado pelo desembargador Marco Maggi, da 4ª Câmara Criminal. De acordo com a assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), a revogação indeferida da juíza foi baseada na decisão de Maggi.

Leia mais sobre o caso em:

Médico apontado como mentor do assassinato de cirurgião diz em carta que é inocente

Confira entrevista com a viúva do médico Artur Eugênio

Ciclistas têm reunião para debater sobre a segurança no Paiva

Devido à onda de assaltos a ciclistas que estão acontecendo no Paiva, mais precisamente no trecho entre a praça do pedágio da ponte e Barra de Jangada, vários grupos de bikes como Cabo Bike, Clube Loucos por Bike, Geração Bike, Pedalando com Tatu, Ciclistas de Cristo e outros participarão de uma reunião nesta sexta-feira, às 18h, no Hotel Barramares, em Piedade, Jaboatão dos Guararapes.

O grupo pretende se reunir com representantes da Rota dos Coqueiros (Paiva), com o deputado estadual Betinho Gomes e representantes da Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes.

No mês passado, a redação do Diario de Pernambuco recebeu denúncias de pessoas que estavam reclamando de assaltos na localidade. As queixas davam conta de que os ciclistas eram abordados por bandidos que saíam dos mangues para roubar as bicicletas.

Na época das denúncias, a assessoria de comunicação social da Polícia Militar de Pernambuco orientou os ciclistas a formalizarem uma queixa diretamente ao Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv), cuja central telefônica é o 3181-3620, além, claro do próprio 190, bem como à Polícia Civil para que o fato seja investigado.

Já a Concessionária Rota dos Coqueiros, empresa responsável pela operação e manutenção do sistema viário do Paiva, informou que os trechos de rodovias que antecedem a praça de pedágio de Barra de Jangada e sucedem a praça de pedágio de Itapuama, são de responsabilidade do Governo do Estado por meio do Departamento de Estradas e Rodagem (DER).

Polícia Federal apresenta esquema de segurança para Copa do Mundo

A Polícia Federal em Pernambuco anunciou algumas ações e treinamentos realizados através do seu homem de polícia visando à segurança e o bem estar de todos brasileiros e estrangeiros que participarão da Copa do Mundo, principalmente nos jogos que serão realizados na Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata.

Fotos: Polícia Federal/Divulgação

Fotos: Polícia Federal/Divulgação

Os agentes federais irão trabalhar com segurança de dignitários, polícia marítima, segurança cibernética, identificação de vítimas de desastre, gerenciamento e negociação de crises, vistorias e contramedidas, sem contar os diversos simulados de exercícios em eventos-teste.

Desde 2011, foram investidos na PF mais de R$ 400 milhões, dos quais R$ 90 milhões estritamente em equipamentos e capacitação para os Grandes Eventos. Foram compradas viaturas, inclusive blindadas, embarcações, armamento menos letal, coletes balísticos, equipamentos para os grupos de operações especiais, para os grupos de bombas e explosivos e soluções de tecnologia da informação.

GBE-GRUPO DE BOMBAS E EXPLOSIVOS:

O Grupo de Bombas e Explosivos – GBE é formado por peritos criminais federais previamente selecionados, extremamente experientes com treinamento especial, ficando de sobreaviso 24 horas para qualquer intervenção. O objetivo desse grupo é intervir mais rapidamente e resolver situações de risco envolvendo bombas e materiais explosivos, onde se exija habilidade e destreza na elucidação e solução de situações extremamente sensíveis.

O ROBÔ tem como função evitar a aproximação de pessoas em áreas de risco, seja ela ameaça de bombas ou ambiente saturado por gás. O instrumento tem quatro câmeras integradas, iluminação própria e uma “garra” para vasculhar locais ou remover artefatos suspeitos e funciona com controle remoto a uma distância de até três quilômetros, em um espaço sem grandes obstáculos para a transmissão do sinal. Outra função do robô é carregar uma espécie de canhão d’água que, com apenas um esguicho, separa as peças de um artefato para evitar que ele exploda.

A ROUPA ANTIFRAGMENTAÇAO é usada para proteger o operador em casos de explosões e é feita de material resistente, pesa em média 40 quilos, é refrigerada, com a intenção de expor o policial ao menor risco possível.

CÃES FAREJADORES

A Polícia Federal em Pernambuco também tem a sua disposição cães farejadores capazes de detectar drogas e até artefatos explosivos que serão utilizados durante os jogos da copa do mundo realizando diversos tipos de tarefas e buscas em malas, veículos, instalações, imóveis e diversos ambientes. Ao encontrar um material suspeito o cão  pode arranhar ou  morder o local onde a droga está escondida, ou se  posicionar ao lado desse local ou da pessoa. O tempo de atuação pode variar, mas em geral eles ficam na ativa até os 10 anos de idade.

COORDENAÇÃO REGIONAL DE SEGURANÇA PARA GRANDES EVENTOS

A Coordenação Regional de Segurança para Grandes Eventos é uma superestrutura que foi montada através de contêineres com diversas salas na quadra de esportes da Superintendência Regional e que vão viabilizaar às ações que estão sendo desenvolvidas pela Polícia Federal com o objetivo de dar uma resposta rápida e eficaz em diversas áreas de atuação que são de competência da PF no evento copa do mundo de 2014.

Nesta estrutura estão funcionando sala de vistoria e contra medidas, sala de segurança de dignitários, sala de monitoramento e controle com circuito de câmeras em diversas localidades capaz de acompanhar em tempo real todas as situações que estão em andamento, auditório, banheiro, logística e telecomunicações.

Com informações da assessoria da Polícia Federal em Pernambuco

SDS manda alerta aos candidatos do concurso da PMPE de 2009

Comunicado aos candidatos do concurso público para soldado da PMPE

A Secretaria de Defesa Social (SDS) comunicamos aos candidatos que foram aprovados no exame de conhecimento (Fase da 1ª Etapa) do Concurso Público, disciplinado pela Portaria Conjunta SAD/SDS Nº 101, de 31 de agosto de 2009, que as informações, concernentes às convocações de candidatos para realizar as fases complementares (Exames Medico, Testes Fiscos e exames psicológicos), serão divulgadas no SITE: www.acides.pe.gov.br , assim que os procedimentos legais forem concluídos.

Fonte: Academia Integrada de Defesa Social – ACIDES/SDS

Médico apontado como mentor do assassinato de cirurgião diz em carta que é inocente

Preso desde a última terça-feira, o médico Cláudio Amaro Gomes escreveu uma carta que está sendo repassada pelos seus advogados na qual o cirurgião afirma estar sendo injustiçado com a acusação de ter mandado matar o também médico Artur Eugênio.

Médico está detido no Cotel. Foto: Ricardo Fernandes/DP/D.A Press

Médico está detido no Cotel. Foto: Ricardo Fernandes/DP/D.A Press

Confira a carta

Aos meus familiares, amigos e colegas de profissão:

Escrevo-lhes estas breves mas sinceras palavras para confortá-los nesse triste momento de nossas vidas. Quero lhes dizer que, apesar de tudo e de todos, das mentiras e especulações, do linchamento público a que venho sendo injustamente submetido, tenho procurado reunir forças para me manter firme. Peço-lhes que façam o mesmo.

Afinal, devemos todos confiar na Justiça, ainda que isso não pareça ser o verdadeiro propósito daqueles que me acusam, e simplesmente acusam, sem provas.

A humilhação dessa injusta prisão, a desonra de uma absurda e inventiva acusação, haverão de ter fim. Cedo ou tarde. E para isso não medirei esforços. E sei que farão o mesmo.

Somente os que estão realmente comprometidos com a verdade e conhecem profundamente minha história pessoal e trajetória profissional sabem o quanto seria incapaz de praticar ato tão vil como esse de que me acusam, e que vai de encontro a todos os meus princípios e convicções e a tudo que realizei durante meus 57 anos.

Fiz um juramento de salvar vidas. Jamais, de tirá-las! E é com esse espírito, de salvar vidas, que tenho procurado me conduzir ao longo de décadas dedicadas ao fazer bem às pessoas.

O que não parece correto nem sensato aceitar é que desentendimentos profissionais, absolutamente normais entre aqueles que atuam com o peso da responsabilidade de salvar o próximo, possam ser considerados, como têm sido à falta de provas, motivo para o cometimento de um crime tão bárbaro. Isso não faz o menor sentido, definitivamente.

Preciso dizer que ninguém, ninguém!, deseja mais do que eu que os fatos sejam apurados e os reais responsáveis sejam encontrados e exemplarmente punidos, como impõe a lei. E como todos esperam que aconteça.

Prova disso é que, mesmo jamais tendo sido anteriormente procurado por qualquer autoridade, desde o primeiro instante me coloquei à disposição da Justiça. Inclusive, todos vocês sabem, no momento em que essas descabidas acusações vieram a público me encontrava fora do país, participando de evento médico.

Por obrigação moral não hesitei em retornar ao Brasil, onde, mesmo submetido a um processo de degradação e humilhação públicas, procurei exercer minhas funções e minha rotina diária até ser surpreendido com uma ordem de prisão.

Finalizo dizendo que não compactuo, como todos certamente não compactuam, com a forma como essas investigações vêm sendo conduzidas ao sabor da pressão midiática. Infelizmente, a única preocupação daqueles que conduzem essas investigações é simplesmente encontrar “culpados”, em vez de descobrir “provas” que demonstrem essa culpa.

“A injustiça que se faz a um, é uma ameaça que se faz a todos”. (Montesquieu).

Cláudio Amaro Gomes

A Polícia Civil de Pernambuco informou que o Ministério Público de Pernambuco e o Poder Judiciário estão acompanhando toda a investigação e que a polícia tem provas “robustas” contra os suspeitos. A PCPE disse ainda que uma prova de que a investigação está no caminho certo foi a negativa do pedido de habeas corpus do médico Cláudio Gomes.