Missão cumprida

Pouco mais de 30 horas depois da morte da passageira Suany Muniz Rodrigues, 33 anos, que morreu após ter sido baleada num assalto a ônibus, a polícia conseguiu prender o homem que confessou ter apertado o gatilho da arma que tirou a vida de uma mulher que tinha muitos planos para sua vida pessoal e profissional. O corpo de Suany foi sepultado sob revolta e lamentação dos familiares e amigos. Enquanto isso, do outro lado do crime, a polícia corria contra o tempo para capturar os suspeitos pelo assassinato. Até o final da manhã desta sexta-feira havia conseguido prender pelo menos um deles. Mesmo cansados, os policiais relataram que estavam satisfeitos com o trabalho realizado. Numa demonstração de amor pela profissão.

PMs seguiram com o suspeito para o IML. Fotos: Wagner Oliveira/DP/D.A.Press

“Estamos sem dormir. Desde ontem iniciamos as diligências atrás dos suspeitos, mas ficamos felizes por conseguir prender o rapaz que atirou e matou a passageira. Agora, as outras equipes estão na rua para prender os outros envolvidos no crime”, relatou um soldado do Grupo de Apoio Tático Itinerante do 19º BPM que participou da prisão do suspeito. Na mesma empolgação estavam os agentes da Polícia Civil. Foram horas seguidas de trabalho para tirar os criminosos das ruas. Depois de passar a manhã prestando depoimento na Delegacia de Prazeres, Leandro Assis da Silva, 29 anos, foi fazer exame de corpo de delito no Instituto de Medicina Legal (IML) e depois seguiu para o Centro de Triagem, em Abreu e Lima.

Militares relataram estar satisfeitos com o resultado do trabalho

O depoimento

Durante as horas em que prestou depoimento à equipe de Crimes Violentos Letais Intencionais da Delegacia de Prazeres, Leandro disse que essa teria sido a primeira vez que praticava um assalto. Relatou ter sido “convidado” pelo comparsa para a empreitada. Aceitou sem titubear. Entraram no ônibus com destino a Barra de Jangada certo de cometer o crime na viagem de ida. Decidiram praticar o crime quando o coletivo voltava para o Curado. Momento em que Suany resolveu sair da aula mais cedo para contar à família que havia sido promovida no trabalho. Do apurado no assalto, Leandro diz que ficou “apenas” com dois telefones celulares, os quais trocou por pedras de crack. Histórias que se repetem, infelizmente, quase todos os dias.

 

Droga apreendida poderá ser queimada sem autorização judicial

A Câmara analisa o Projeto de Lei 4747/12, do deputado Eliseu Padilha (PMDB-RS), que acaba com a exigência de autorização judicial e da presença do Ministério Público para incinerar drogas apreendidas pela polícia. A proposta altera a lei que institui o Sistema Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas (Lei 11.343/06).

Segundo o autor, as delegacias do país não estão estruturadas para armazenar a quantidade cada vez maior de entorpecentes apreendidos. Padilha observa que a Delegacia de Repressão a Narcóticos em Goiânia, por exemplo, não tem espaço para acomodar mais drogas.

“A situação é explicada por dois aspectos: o primeiro é que a destruição deve ser autorizada pela Justiça e o procedimento não é nada simples; o segundo é que a posição geográfica de Goiás favorece a inserção do Estado na rota do tráfico, até mesmo internacional, e a quantidade de material recolhido aumentou muito nos últimos anos”, afirma.

Da Agência Câmara

Delegados do DHPP fazem elogios ao gestor que deixará o cargo

A publicação da saída do gestor do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) Casimiro Ulisses de Oliveira tem sido bastante lamentada pelos delegados que trabalharam com ele durante os sete meses que o delegado esteve à frente da especializada. Aproximadamente dez delegados do DHPP se manifestaram através de comentários para este blog fazendo questão de ressaltar que o gestor sempre foi uma pessoa íntegra e excelente profissional. Alguns comentários, inclusive, chegam a afirmar que Casimiro teve a imagem denegrida através das palavras descritas na nota sobre sua saída do cargo. Em seu lugar assumirá a delegada Inalva Regina.

Entre os relatos deixados no blog existem elegios ao modelo de trabalho e à disponibilidade do gestor para com toda a equipe. Um grupo de delegados, um comissário, uma escrivã e uma estagiária ressaltaram que nunca tiveram qualquer problema com a gestão de Casimiro. Procurado para saber o motivo da saída do chefe do DHPP, o chefe de Polícia Civil, Osvaldo Morais, ressaltou que o mesmo estava deixando o departamento por questões administrativas. “Estamos fazendo algumas mudanças estruturais e por isso precisamos fazer esse ajuste. Casimiro está entrando de férias, a partir de agora. Quando ele retornar vamos decidir onde ele irá ficar”, afirmou Morais.

Assalto, tiro, morte e muita revolta

As manchetes dos jornais Diario de Pernambuco e Aqui PE desta quinta-feira retratam uma realidade que ninguém queria ver. Mostram como a cada dia a vida tem sido menos valorizada por aquelas pessoas que escolheram o mundo do crime como seu caminho. Mais que isso, as capas dos dois jornais nos fazem lembrar que todos nós estamos passíveis de brutalidades como a que aconteceu com a mulher de 33 anos que teria se negado a entregar a bolsa ao assaltante ou simplesmente teria se assustado com a abordagem dos criminosos dentro coletivo no qual ela voltava para casa.

Foram momentos de pânico para quem estava no ônibus que trafegava pela BR-101 na noite dessa quarta-feira. Após efetuar o disparo, o criminoso teria dito ao comparsa: “bora, desce que eu matei a mulher.” Os ladrões estavam dentro do ônibus como passageiros e anunciaram o crime quando o coletivo chegou na BR. Suany Muniz Rodrigues foi atingida por um tiro na cabeça. Ela ainda chegou a ser socorrida e levada para uma Unidade de Pronto Atendimento, mas não resistiu. A família entrou em desespero quando recebeu a notícia do seu falecimento.

A polícia já iniciou as investigações para tentar chegar aos criminosos. Segundo a Polícia Militar, a vítima estava num ônibus da empresa Metropolitana, que fazia a linha Barra de Jangada/Curado IV, quando, por volta das 21h, dois homens, não identificados, anunciaram o assalto. Ao reagir, a mulher, que mora no bairro do Curado I, foi baleada no ouvido esquerdo. “Ela não quis entregar seus pertences e um dos suspeitos revidou”, contou o cabo Maurício da Silva Nascimento, do 19º Batalhão da Polícia Militar. A esperança agora é de que as câmeras de segurança do ônibus possam ter filmado a imagem dos assaltantes e ajude a polícia a prendê-los. Quem tiver informações sobre os possíveis criminosos pode telefonar para o Disque-Denúncia (81) 3421-9595.

Quando questionado sobre o que poderia ter evitado a tragédia, o motorista não hesitou ao denunciar. “É a terceira vez que um ônibus onde estou é assaltado, a primeira com morte. A polícia sabe que assaltos nesta linha não são novidades, é uma coisa sistemática. É preciso que haja mais blitze”, desabafou.

Com informações do Diariodepernambuco.com.br

 

Onda de estupros assusta Cruz de Rebouças

O medo é o companheiro mais comum dos moradores de Cruz de Rebouças, em Igarassu, nos últimos dias. Segundo a população, uma onda de estupros contra meninas e adolescentes da localidade está deixando todos assustados e virou motivo de preocupação para as autoridades que ainda não conseguiram dar uma resposta efetiva à sociedade. O primeiro caso foi denunciado à polícia há cerca de um mês. Depois disso, pelo menos outras três pessoas sofreram abusos.

População foi às ruas protestar. Foto: Prefeitura de Igarassu/Divulgação

Na manhã dessa quarta-feira, uma garota de 17 anos quase foi violentada, mas conseguiu fugir. Na terça-feira, uma grupo de aproximadamente 200 pessoas foi às ruas pedir que a polícia tomasse providências. O temor se espalhou de tel forma que a Câmara de Vereadores da cidade exigiu, em audiência pública, o reforço do policiamento.

O modo como os estupros aconteceram leva a crer que se trata de uma quadrilha que age à luz do dia, sem temer a ação da polícia. Adolescentes de 14 a 17 anos, sozinhas, são agarradas e jogadas dentro do carro, cujos modelo e placa ainda não foram identificados. Após serem estupradas, as vítimas são deixadas, seminuas, no meio da rua. As mães não deixam mais suas filhas andarem sozinhas.

Mães esperam as filhas na porta das escolas. Foto: Arthur de Souza/DP/D.A.Press

Uma das garotas, de 14 anos, foi abordada na rua ao lado do colégio onde estuda. “A população deve nos procurar. Toda informação é importante para que a gente possa identificar os criminosos”, pontuou o delegado Roberto Geraldo. Ele afirmou que já está investigando algumas pessoas que podem ter relação com a onda de estupros. A polícia diz que está se mexendo, porém os criminosos estão agindo de maneira muito mais rápida e a população não tem tempo para esperar que novas vítimas sejam feitas. Atenção polícia e gestores públicos, esse problema deve ser resolvido logo e os acusados presos.

Com informações do repórter Raphael Guerra do Diario de Pernambuco

 

Segurança confessa tiro contra jovem, mas diz que foi acidental

Revelada a identidade do autor do disparo que mantém o torcedor do Náutico, Lucas Lyra, de 19 anos, sob risco de vida no Hospital da Restauração. José Carlos Feitosa Barreto tem 37 anos. Ele trabalhava a serviço de uma empresa de ônibus e confessou ter disparado a arma acidentalmente. O suspeito, no entanto, negou que trabalhasse como segurança. Segundo ele, que não tem porte de arma, a empresa nunca autorizou o uso de arma de fogo. José Carlos descreveu sua função como “controlador de tráfego”. Os responsáveis pela investigação concederam entrevista coletiva na tarde dessa terça-feira, no auditório da sede da Polícia Civil.UNICOM - Policia Civil<br /><br /><br /><br /><br />
José Carlos Feitosa Barreto, 37 anos, suspeito de efetuar disparo contra torcedor do Náutico

José Carlos não foi apresentado à imprensa e segue detido na Departamento de Homícidos e Proteção à Pessoa (DHPP) para contribuir com o resto das investigações. O secretário de defesa social do estado, Wilson Damázio, deu detalhes da operação. Intimado a comparecer a se apresentar após o avanço das investigações, José Carlos prestou depoimento na sede da DHPP na tarde da última segunda-feira. Na ocasião, confessou ter sido o autor do disparo, mas acabou liberado porque a Justiça ainda não havia expedido o mandado de prisão, o que só ocorreu horas depois.

No início da manhã dessa terça-feira, o suspeito foi detido na casa de uma companheira, em Nova Descoberta, sem oferecer resistência. Segundo a versão do próprio José Carlos, o tiro foi consequência do revide a uma tentativa de apedrajamento por parte de alguns dos torcedores envolvidos no tumulto ocorrido na frente da sede do Náutico, sábado à noite, pouco antes do início do jogo entre Náutico e Central.

O segurança confessou ter espancado três torcedores que estariam entre os seus agressores. Um deles era primo de Lucas Lyra, que teria partido pra cima de José Carlos ao ver a cena. Segundo o relado do acusado, o tiro saiu acidentalmente quando ele usava a arma para bater na cabeça dos torcedores. De acordo com o diretor geral de polícia especializada, Joselito Kehrle, pelas imagens da câmera da Secretaria de Defesa Social (SDS) usadas na investigação, não é possível discernir se o tiro foi ou não acidental.

Do Super Esportes. Leia matéria completa na edição impressa do Diario desta quarta-feira.

Prego batido, ponta virada. Inalva Regina é a nova gestora do DHPP

A delegada Inalva Regina foi a escolhida para ser a nova gestora do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Ela vai ocupar o lugar do delegado Casimiro Ulisses, que passou cerca de sete meses no cargo. A indicação de Inalva não foi surpresa para o blog, que já havia antecipado que o nome dela era o mais cotado para a função. Concorriam à vaga também os delegados Bruno Chacon, Edilson Alves e João Brito.

Inalva tem vasta experiência. Foto: Julio Jacobina/DP/D.A.Press

A notícia da nomeação de Inalva, apesar de ter causado surpresas para alguns policiais, agradou grande parte dos delegados do DHPP. Nessa terça-feira, Inalva já esteve no gabinete do chefe de Polícia Civil de Pernambuco, Osvaldo Morais, que, segundo algumas fontes do blog, estaria apostando todas as suas fichas nela para restabelecer a harmonia no departamento de homicídios.

Inalva chefiou, por muitos anos, a Gerência de Polícia da Criança e do Adolescente (GPCA), onde conduziu grandes investigações e operações de crimes sexuais contra adolescentes. Atualmente estava respondendo pela Delegacia Seccional de Olinda. Para assumir o cargo, a delegada terá que esperar a publicação no Diário Oficial.

 

 

DHPP terá novo gestor em breve

O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) terá um novo gestor muito em breve. À frente de uma das delegacias mais requisitadas do estado desde a metade do ano passado, o delegado Casimiro Ulysses de Oliveira vai ser substituído nos próximos dias. Para ocupar a chefia do departamento estão sendo cogitados, por enquanto, os nomes de quatro delegados. São três homens e uma mulher, todos eles com experiência em crimes de homicídios. Encabeçam a lista os delegados João Brito, Bruno Chacon, Inalva Regina e Edilson Alves. Segundo fontes da cúpula da Secretaria de Defesa Social (SDS), o nome de Inalva Regina é o mais cotado até o momento para o cargo. A policial que hoje é responsável pela Seccional de Olinda, também já foi gestora da Gerência de Polícia da Criança e do Adolescente (GPCA) por muitos anos.

Casimiro Ulisses chefiou o DHPP por menos de um ano. Foto: Blenda Souto Maior/DP/D.A.Press

A notícia da saída de Casimiro ainda não foi oficializada, no entanto, já ganhou vida nos corredores do departamento localizado na Avenida Mascarenhas de Morais, no bairro da Imbiribeira. Procurado pelo Diario, o chefe da Polícia Civil do estado, delegado Osvaldo Morais, disse que não teria o que falar sobre o assunto no momento. Porém, a saída de Casimiro estaria ligada a alguns problemas de relacionamento com os seus subordinados. Em novembro do ano passado, este blog publicou nota de que pelo menos seis delegados do DHPP estariam sofrendo perseguição por parte do gestor. Na época, Casimiro perferiu não falar sobre o assunto.

Edilson Alves está como coordenador. Foto: Cecília de Sá Pereira/DP/D.A.Press

Edilson Alves
Atuou como delegado responsável pela Gerência de Polícia da Capital e atualmente está como coordenador da Diretoria de Polícia Metropolitana da Polícia Civil

Bruno Chacon já foi da DP de Homicídios. Foto: Julio Jacobina/DP/D.A.Press

Bruno Chacon
Já foi delegado da divisão de homicídios na GPCA, chefiou a 3ª Delegacia de Homicídios, foi responsável pela Seccional da Várzea e atualmente é assessor da Diretoria de Polícia Metropolitana

Inalva Regina já chefiou a GPCA. Foto: Julio Jacobina/DP/D.A.Press

Inalva Regina
Chefiou a Gerência de Polícia da Criança e do Adolescente (GPCA), onde conduziu grandes investigações e operações contra crimes sexuais contra adolescentes. Hoje responde pela Seccional de Olinda

João Brito já trabalhou no DHPP. Foto: Lilian Pimentel Esp p/DP/D.A.Press

João Brito
Trabalhou como delegado do DHPP, foi coordenador da Força-tarefa do departamento de homicídios e atualmente desempenha a função de assessor da Diretoria de Polícia Especializada

Leia mais sobre o assunto em:

Delegados estão sofrendo perseguição dentro do DHPP

Delegados do DHPP defendem atuação do gestor

 

Preso segurança do ônibus suspeito de ter atirado no torcedor do Náutico

A Polícia Civil prendeu na manhã desta terça-feira, no bairro de Nova Descoberta, na Zona Norte do Recife, o segurança suspeito de ser o autor do disparo que atingiu o jovem Lucas de Freitas Lyra, de 19 anos, na noite do último sábado.

O homem tem 37 anos. O suspeito vai ser apresentado pela polícia ainda nesta tarde. Lucas permanece internado no Hospital da Restauração em estado grave após ter sido baleado na frente do clube alvirrubro. O suspeito identificado até o momento apenas como Mano foi preso porque a polícia já havia conseguido o mandado de prisão preventiva contra ele.

O horário da apresentação do caso ainda está sendo definido entre a chefia da Polícia Civil e a Secretaria de Defesa Social (SDS). O segurança foi identificado a partir das imagens de uma câmara de segurança da SDS instalada na frente da sede do Clube Náutico Capibaribe, onde aconteceu a confusão na noite do sábado.

Estamos atualizando essa notícia que foi publicada às 8h59.

 

Retrato falado da mulher que roubou recém-nascida está sendo espalhado

A polícia concluiu na noite dessa segunda-feira o retrato falado da mulher suspeita de ter levado da casa dos pais uma bebê de apenas 15 dias de vida em Chã de Alegria, na Zona da Mata Norte de Pernambuco. Além das imagens do circuito interno de um mercadinho do município, os investigadores têm agora o desenho do rosto da mulher identificada apenas como Carla. A menina Jeovana Milena nasceu no dia 1º de fevereiro no Imip, no Recife. O crime aconteceu na manhã do último sábado.

Esse seria a rosto da mulher suspeita do crime. Foto: IITB/Divulgação

O retrato falado foi confeccionado pelo Instituto de Identificação Tavares Buril (IITB). Segundo o delegado responsável pelas investigações, Sérgio Moreira, três informações que chegaram ao Disque-Denúncia até o momento não foram verdadeiras. “Checamos todas elas, mas não encontramos pistas”, afirmou Moreira.
De acordo com o conselheiro tutelar Sérgio Gomes, duas informações serão checadas pelo Conselho Tutelar. “Recebemos denúncias de que a mulher que levou a criança teria uma irmã em São Lourenço e outra em Paudalho. Vamos checar os dois endereços”, pontuou.
Leia mais sobre o caso em: