Cerca de oito mil detentos de Pernambuco estudam nos presídios

O sistema prisional de Pernambuco tem atualmente um total de 27 mil detentos num espaço onde caberiam apenas dez mil presos. Um retrato da superlotação que assola quase todas as unidades prisionais do Brasil. Apesar desse dado negativo, a Secretaria de Ressocialização do estado (Seres) comemora o alto índice de presos que estão estudando atrás das grades.

Seminário acontece até esta quarta-feira em Boa Viagem

Seminário acontece até esta quarta-feira em Boa Viagem. Foto: SDSDH/Divulgação

 

Segundo o superintendente da Seres, coronel Romero Ribeiro, cerca de oito mil reeducandos estão frequentando as salas de aula. Os números foram apresentados nessa terça-feira na abertura do Seminário Nacional – Sistema Prisional e Reinserção Social, que acontece até esta quarta-feira no Golden Tulip Recife Palace Hotel, em Boa Viagem. No seminário foi apresentado o resultado de uma pesquisa que resultou numa Proposta de Reinserção Singular para os detentos. O primeiro passo de Pernambuco pode estar sendo dado justamente com o investimento na edução dos presos.

A pesquisa, que foi realizada com detentos da Penitenciária Professor Barreto Campelo, em Itamaracá, e da Colônia Penal Feminina do Recife, no Engenho do Meio, identificou o rompimento dos laços familiares como uma das principais causas que dificultam a reinserção de ex-presidiários na sociedade.

“Não podemos colocar as pessoas no presídio e deixá-las simplesmente trancadas. A prisão não é para sempre e essas pessoas irão voltar para as ruas. Por isso, é preciso que os detentos recebam uma atenção especial enquanto estão nas unidades e um apoio quando deixarem a prisão”, ressaltou Carina Vasconcelos, que é professora de direito, conselheira do Conselho Penitenciário de Pernambuco e participou da pesquisa feita pelo Instituto Brasileiro Pró-Cidadania.

 

Polícia bate forte nas quadrilhas que explodem caixas eletrônicos

A polícia desarticulou uma quadrilha que se preparava para explodir caixas eletrônicos e assaltar carros-fortes em Pernambuco. Com o grupo de quatro suspeitos, o Departamento de Repressão ao Narcotráfico (Denarc) apreendeu 17 bananas de emulsão explosiva, cujo poder de destruição é superior ao da dinamite, além de armas e outros materiais usados em crimes desse tipo.

Delegados Renato Rocha e Rodrigo Maciel falaram sobre as prisões. Foto: Alcione Ferreira/DP/D.A.Press

Delegados Renato Rocha e Rodrigo Maciel falaram sobre as prisões. Foto: Alcione Ferreira/DP/D.A.Press

Os suspeitos foram transferidos para o Cotel e responderão por tráfico de drogas, formação de quadrilha, receptação de material roubado e porte ilegal de armas de fogo, explosivos e munição. A última investida contra bancos no estado ocorreu na semana passada, em Triunfo. Ladrões atacaram a agência do Bradesco, que teve o teto de gesso e as portas de vidro destruídos, e fugiram em seguida.

A quadrilha apresentada nessa segunda-feira foi presa na última sexta-feira, quando planejava roubar um posto de combustível na Avenida Beberibe, na Zona Norte do Recife. A polícia suspeitou da movimentação, montou cerco e rendeu dois homens no local. Outros dois foram capturados na casa alugada pelo grupo para esconder os explosivos, em Pau Amarelo, Paulista. O Denarc apreendeu uma farda da PM, um cordão detonante, grampos para furar pneus, um colete à prova de balas, dois distintivos falsos, luvas, um revólver e um rifle, uma espingarda e 750 gramas de maconha.

Explosivos foram apreendidos pela polícia. Foto: Alcione Ferreira/DP/D.A.Press

Explosivos foram apreendidos pela polícia. Foto: Alcione Ferreira/DP/D.A.Press

A variedade do material chamou a atenção do delegado Rodrigo Araújo. “Eles queriam juntar dinheiro para comprar armamento pesado e fazer assaltos maiores, a bancos e carros-fortes”, explicou. A polícia investiga a participação do grupo em explosões já ocorridas. “Fizemos o contato com o Depatri e estamos aguardando informações”, disse o gestor do Denarc, Renato Rocha.

Interestaduais
Segundo o gestor do Departamento de Repressão aos Crimes Patrimoniais, José Cláudio Nogueira, as quadrilhas que roubam bancos são formadas, em geral, por bandidos de mais de um estado. As investidas duram menos de dez minutos. O delegado comentou o aumento das ocorrências. “Tem relação com a facilidade de conseguirem explosivos, que são muito usados em obras”, afirmou.

Do Diario de Pernambuco

 

Polícia pediu prisão dos suspeitos de assassinar carroceiro

A polícia solicitou as prisões preventivas dos três homens suspeitos de terem participado do assassinato do carroceiro Lindivan Batista da Silva, 29 anos. O homem foi morto na comunidade do Papelão, no bairro de Santo Antônio, no Centro do Recife, no dia 4 deste mês. Segundo o delegado Alfredo Jorge, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), as prisões foram solicitadas no último dia 8.

Delegado Alfredo Jorge concluiu as investigações. Foto: Alcione Ferreira/DP/D.A

Delegado Alfredo Jorge concluiu as investigações. Foto: Alcione Ferreira/DP/D.A

Lindivan foi morto com um disparo de espingarda calibre 12. O tiro acertou o peito da vítima, que estava com o filho de 12 anos na garupa. Durante as investigações, a polícia descobriu que o crime aconteceu não somente por causa de uma discussão por restos de comida. “Temos informações sobre tráfico de drogas. Algumas testemunhas contaram que Lindivan queria obrigar um dos suspeitos a vender drogas na comunidade”, revelou o delegado Alfredo Jorge. Ainda de acordo com o delegado, Lindivan tinha um revólver, o que inclusive foi dito em depoimento pelo filho dele.

 

Novos policiais civis tomam posse nesta terça-feira

A Polícia Civil de Pernambuco realiza na manhã desta terça-feira, a cerimônia de posse dos novos agentes e escrivães de polícia. Mais de 600 servidores policiais vão receber das mãos do secretário de Defesa Social, Wilson Damázio e do chefe de Polícia Civil, Osvaldo Morais o termo de posse, a nova carteira funcional e o bóton da instituição.

A solenidade acontece no Teatro Guararapes, no Centro de Convenções, em Olinda. O secretário Estadual de Planejamento e Gestão, Frederico Amâncio, irá ministrar uma palestra aos mais novos funcionários públicos sobre as ações e metas do governo do estado. O objetivo da apresentação é alinhar o trabalho desses policiais civis às ações estratégicas do Pacto Pela Vida.

O primeiro lugar do Curso de Formação da Polícia Civil vai fazer um juramento em nome dos demais agentes e escrivães empossados. Também será apresentado um vídeo institucional com os melhores momentos do curso, realizado entre os meses de outubro de 2012 a janeiro deste ano, no Centro de Ensino Recife (Cere), da Academia Integrada de Defesa Social (Acides).

Com informações da assessoria de imprensa da Polícia Civil

 

Polícia Militar inicia Operação Foco Itinerante

A Diretoria Integrada Especializada (DIRESP) da Polícia Militar de Pernambuco deu início à Operação Foco Itinerante, na semana passada. O primeiro lugar visitado foi o bairro de Água Fria, na Zona Norte do Recife. A ação reuniu policiais militares das unidades especializadas da Corporação como Radiopatrulha, 1º BPTran, Rocam, BPRv, BPChoque, CIPCães e Cipoma.

Ações serão itinerantes. Foto: Polícia Militar/Divulgação

Ações serão itinerantes. Foto: PM/Divulgação

O objetivo da operação é lançar diariamente a tropa especializada nos bairros com intuito de realizar abordagens, sem estabelecer previamente local e horário para combater o tráfico de drogas e armas, bem como inibir a criminalidade.

Com informações da Polícia Militar.

 

Projetos sobre segurança pública podem ser votados nesta semana

O Plenário pode votar nesta semana projetos relacionados à segurança pública e à violência no trânsito. Uma comissão geral (sessão de debates) sobre esses temas será realizada na manhã desta terça-feira (19), e as propostas consideradas prioritárias podem começar ser votadas na quarta-feira (20), em sessão extraordinária.

Poderão entrar em pauta, por exemplo, o Projeto de Lei 6690/02, da Comissão Mista de Segurança Pública, que estabelece normas gerais sobre o funcionamento das polícias estaduais e do Distrito Federal, especificando princípios, competências e estrutura organizacional básica de suas unidades.

Tramita em conjunto com esse projeto o PL 1949/07, do Executivo, que trata do mesmo tema, mas apenas para as polícias civis (Lei Geral da Polícia Civil). Os projetos a serem votados serão definidos pelo presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, e pelos líderes partidários.

No dia da comissão geral, o portal e-Democracia, da Câmara, abrirá uma sala de bate-papo para que os internautas também possam debater o tema. Por meio de um link, será possível fazer comentários ou dar sugestões enquanto estiver ocorrendo o debate no Plenário da Câmara.

Indenização para policiais
Outro projeto previsto é o PL 4264/12, do Executivo, que cria indenização para policiais federais, policiais rodoviários federais e auditores da Receita Federal em exercício em localidades fronteiriças estratégicas para a prevenção, o controle, a fiscalização e a repressão de delitos.

Também pode ser analisado o Projeto de Lei 5546/01, de autoria dos deputados Nilmário Miranda (PT-MG) e Nelson Pellegrino (PT-BA), que cria medidas preventivas e regras especiais para a investigação do crime de tortura contra pessoas detidas pela polícia.

Da Agência Câmara

Afinal, de quem é a culpa?

Na tarde desse domingo, um menino de apenas dois anos foi alvo de uma pedrada no rosto. Ele estava em um ônibus da linha Curado IV/Rua 14 e seguia com os familiares para uma tarde de passeio. Sua viagem terminou no hospital. O garoto foi a mais nova vítima de indiscriminada rivalidade entre alguns torcedores dos times pernambucanos. Um confronto entre rubro-negros e tricolores, que nem jogaram um contra um outro nesse domingo, foi o que motivou a agressão à criança.

Se as brigas de torcidas organizadas já causam revolta, nos casos onde inocentes são os maiores prejudicados, a indignação é maior ainda. Após ser atingido quando o veículo estava nas imediações do Hospital Pelópidas Silveira, o garoto foi levado para a unidade de saúde com o rosto bastante machucado. De lá, seguiu para o Hospital da Restauração, onde permanece internado. O estado de saúde dele não é grave, disseram os médicos. Bem, o que não se pode discutir é se o menino foi vítima ou não de briga de torcedores. Isso ficou claro com os relatos das testemunhas.

Rubro-negros que estavam no ônibus discutiram com os tricolores que estavam numa moto. Rojões para um lado. Pedras para o outro e o menino ferido. E agora, de quem é a culpa? Para esse clássico do final de semana, a Secretaria de Defesa Social montou um esquema de segurança pouco visto nos jogos anteriores. O policiamento foi reforçado dentro e fora do estádio, e inclusive nas vias de acesso como os principais corredores. Infelizmente, o incidente do menino aconteceu na BR-232, local onde não costuma ocorrer esse tipo de confusão.

Será que o problema que gera esse tipo de ocorrência é a falta de policiamento? Ou seria a falta de educação e consciência de alguns torcedores que insistem em sair às ruas fazendo o que bem querem? O que sabemos até agora é que a cada dia fica mais temeroso sair de casa em dias de jogos nos estádios de Pernambuco.

Leia mais sobre o assunto em:

Preso segurança do ônibus suspeito de ter atirado em torcedor do Náutico

Imagens da confusão na frente do Náutico já estão em poder da polícia

 

Profissionais de saúde do estado têm medo de notificar casos de abusos

Passados mais de 20 anos da instituição do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), o Brasil ainda não cumpre integralmente a determinação para que profissionais de saúde notifiquem casos suspeitos ou confirmados de violência contra crianças e adolescentes. Estudos científicos de universidades brasileiras a que a Agência Brasil teve acesso apontam que, em média, seis em cada dez profissionais que identificam violações durante atendimento se omitem e não encaminham a denúncia aos órgãos competentes, contrariando o que está previsto na lei.

Para quem atende no Sistema Único de Saúde (SUS), a obrigatoriedade foi reforçada por portaria do Ministério da Saúde, publicada em março de 2001. Dados da pesquisa feita pelo odontólogo João Luís da Silva, do Programa de Pós-Graduação Integrado em Saúde Coletiva da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), indicam que 86% dos profissionais entrevistados já suspeitaram de violência física, sexual, psicológica e negligência, mas somente 36,4% deles notificaram o caso. O principal motivo para a omissão foi o medo de retaliação por parte dos agressores (32%), já que, segundo o pesquisador, a falta de sigilo possibilita a identificação do profissional notificador.

Para fazer o estudo, que resultou na dissertação de mestrado Entre as Amarras do Medo e o Dever Sociossanitário: notificação da violência contra crianças e adolescentes sob a perspectiva de rede na atenção primária, defendida no ano passado, Silva entrevistou 107 dos 120 profissionais de saúde de nível superior, atuantes na estratégia Saúde da Família em Olinda (PE).

Fonte: Entre as Amarras do Medo e o Dever Sociossanitário: notificação da violência contra crianças e adolescentes sob a perspectiva de rede na atenção primária (UFPE)

Na avaliação de João Luís da Silva, que é especialista em saúde pública, o ideal é que a notificação seja encaminhada não apenas pelo profissional de saúde, mas por uma comissão intersetorial de modo a dificultar ou impedir a identificação do responsável pela denúncia.

“A alternativa é fazer com que a saúde não trabalhe sozinha, mas intersetorialmente, em uma ação integrada com profissionais de educação, de assistência social e do próprio conselho tutelar. Desse modo, lançaríamos mão de diversos olhares e o profissional da saúde ficaria mais confiante”, disse.

Da Agência Brasil

Suspeitos de participar de assalto a delegado aposentado são procurados

As polícias Civil e Militar continuam fazendo buscas para prender dois criminosos envolvidos na tentativa de assalto a um delegado aposentado, que reagiu e matou um terceiro suspeito. O caso aconteceu na noite da última quinta-feira, quando o delegado chegava em casa com a esposa e dois filhos no Barro, Zona Oeste do Recife. A família, que ocupava um Civic, foi abordada por três homens que estavam em um Corsa.

O policial disparou vários tiros contra os suspeitos. Um deles, Jerônimo Fabiano de Souza Galdino, 19 anos, foi atingido por seis balas e morreu na hora. O assaltante, que dirigia o Corsa, havia deixado uma unidade da Funase uma semana antes.

O delegado Paulo Furtado assumiu as investigações. Segundo ele, o aposentado agiu em legítima defesa. O inquérito segue aberto. Em entrevista à TV Clube/Record, a vítima contou como foi a reação. “Tirei a arma da pochete e botei no colo. Um deles desceu e disse: ‘Perdeu! Perdeu! Desça!’. Efetuei diversos disparos”. Denúncias sobre os bandidos podem ser feitas pelo telefone (81) 3183-5392.