Batalhão de Choque faz varredura na Funase do Cabo

Policiais militares do Batalhão de Policiamento de Choque (BPChoque) realizam nesta terça-feira uma varredura na unidade da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) do Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife. Segundo o secretário da Criança e Juventude, Pedro Eurico, o “pente fino” na unidade tem o objetivo de encontrar armas, drogas e aparelhos de telefones celulares.

“Estamos adotando esse procedimento para evitar a entrada de coisas proibidas na unidade. Geralmente, de 15 em 15 dias, estamos solicitando essa revista. A cada vistoria, a quantidade de armas, drogas e celulares apreendidos está diminuindo”, apontou o secretário Pedro Eurico, acrescentando que antes o procedimento não era realizado com frequência nas unidades.

Delegacia do Turista investiga furto à delegação da Espanha

A Delegacia do Turista da Polícia Civil de Pernambuco abriu inquérito para apurar a denúncia de um suposto furto à delegação da Espanha, ocorrido dentro do Hotel Golden Tulip, em Boa Viagem, onde os europeus se hospedaram em sua passagem pelo Recife. A polícia tem 30 dias para concluir as investigações.

Seleção da Espanha ficou hospedada em Boa Viagem. Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press

Seleção da Espanha ficou hospedada em Boa Viagem. Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press

A primeira versão indicava que os quartos de alguns atletas teriam sido violados por um funcionário do hotel. Outra apontava que a delegação teria participado de um jantar após a vitória sobre o Uruguai, embalado por uma banda de pagode. Na sequência, cinco jogadores e um membro da comissão técnica teriam subido para um dos aposentos com cinco mulheres para uma partida de strip poker. Durante essa festinha particular, alguns pertencentes teriam desaparecido.

O diretor da Capital e da Região Metropolitana da Polícia Civil, Luiz Andrey, informou que o delegado Luiz Alberto será o responsavel pelo inquérito. “Um total de 27 pessoas que trabalham no hotel já foram ouvidas e enviamos uma carta precatória para o Rio de Janeiro e pessoas da delegação espanhola serão ouvidas para falarem efetivamente o que teria ocorrido”, afirmou Andrey.

Polícia sem notícias de táxi roubado em Olinda

O proprietário do táxi de placas KID-3784, um Palio ELX 1.4, pede ajuda de quem souber o paradeiro do seu veículo que foi roubado durante um assalto no bairro de Jardim Atlântico, em Olinda. O crime aconteceu no dia 12 deste mês e foi registrado pela polícia. No entanto, até agora, nenhuma notícia foi dada sobre o carro. Quem tiver informações sobre o destino do táxi pode telefonar para a polícia pelo número 190 ou para Alex no telefone (81) 8706-2487. 

 

Veículo tem placa de Olinda. Foto: Divulgação

Veículo roubado no dia 12 de junho tem placa de Olinda. Foto: Divulgação

Policiais do Gati do 1º Batalhão recuperam carro roubado

Policiais militares do Grupo de Apoio Tático Itinerante (Gati) do 1º Batalhão conseguiram recuperar uma Grand Vitara da Suzuki, que havia sido roubado na manhã desse domingo, na praia do Paiva. A vítima, o funcionário público Caio Aragão, 22, estava surfando quando teve a bolsa e o carro roubado.

PMs do Gati recuperaram o carro roubado. Foto: Wagner Oliveira/DP/D.A Press

PMs do Gati recuperaram o carro roubado. Foto: Wagner Oliveira/DP/D.A Press

“Eu deixei a minha bolsa na areia e entrei no mar para surfar. A chave do carro estava na bolsa. Depois que eu comecei a surfar, vi os ladrões fugindo com o meu carro. Então, eu sai da água e acionei a polícia”, contou Caio, que recuperou grande parte dos seus pertences e o veículo. O caso foi registrado no plantão da Delegacia de Casa Caiada.

De acordo com o soldado Luiz Holanda, na madrugada desta segunda-feira, o Ciods informou que o veículo roubado estaria em uma rua no bairro de Casa Caiada. “Quando chegamos perto do veículo, as pessoas não estavam. Esperamos eles voltarem e fizemos a abordagem. Fomos até as casas dos ocupantes dos carros e encontramos os produtos roubados”, contou Holanda.

Ministro da Justiça vai pedir adiamento de votação da PEC 37

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, vai pedir ao presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, que suspenda temporariamente a votação da Proposta de Emenda à Constituição 37/11. A proposta restringe a investigação criminal às polícias federal e civis, o que impede o Ministério Público de abrir inquéritos. A votação da PEC está marcada para a próxima quarta-feira (26).

Um dos motivos do pedido de adiamento é a falta de acordo entre as polícias e o Ministério Público sobre a proposta. Duas reuniões de negociação foram marcadas para a semana que vem.

O adiamento é apoiado pelos membros do grupo de trabalho que tenta há mais de um mês um acordo. O colegiado é formado por integrantes do Ministério da Justiça, do Ministério Público, por policiais e pelos deputados Bernardo Santana de Vasconcellos (PR-MG) e Fabio Trad (PMDB-MS).

Consenso
Fabio Trad acredita que o consenso está próximo. “Já se admite como consenso que o Ministério Público tenha que investigar. Também se admite como consenso que esta investigação tem que ser extraordinária. Tudo isso é um avanço”, disse o deputado. “O que se discute agora é como essa condição excepcional vai se materializar. Ela vai se concretizar com indícios de atividade criminosa, através da inércia das autoridades policiais?”, questionou.

O presidente em exercício da Câmara, deputado Andre Vargas (PT-PR), também já manifestou ser favorável ao adiamento da votação, principalmente por causa das manifestações populares contrárias à proposta.

Negociação
As reuniões de conciliação da semana que vem serão feitas separadamente, uma com o Ministério Público, outra com policiais. Todas vão ter a mediação do ministro da Justiça e dos deputados.

A proposta usada como base nas negociações permite que o Ministério Público investigue, mas de forma excepcional, com regras e controle da Justiça. O texto inicial foi aceito pelos policiais, mas recusado pelos procuradores e promotores. A ideia dos deputados é melhorar a proposta para que seja votada no lugar do texto original da PEC 37.

Da Agência Câmara

Medidas socioeducativas para adolescentes serão debatidas

A comissão especial que analisa novas medidas socioeducativas para adolescentes infratores vai promover seminários em cinco capitais brasileiras. Na quarta-feira dessa semana, foi aprovado o cronograma de trabalhos do colegiado. O parecer aos projetos que tramitam na Câmara sobre o assunto (PL 7197/02 e 18 apensados) será apresentado no dia 21 de agosto e, no dia 28, serão iniciadas a discussão e votação da matéria.

Antes disso, serão realizados os seminários com autoridades locais e especialistas. Dia 1º de julho em Porto Alegre, dia 8 de julho em São Paulo, dia 15 de julho no Rio de Janeiro, dia 12 de agosto em Salvador, e dia 15 de agosto um seminário nacional encerra os eventos em Brasília.

O presidente da comissão, deputado Vieira da Cunha (PDT-RS), falou da importância de se ouvir a sociedade sobre o tema. “Queremos interagir com os juizados da infância e da juventude, com assistentes sociais e psicólogos, com conselheiros tutelares, promotores, enfim, com a comunidade que tem a responsabilidade de, no dia a dia, ter contato com jovens que praticam atos infracionais”, disse.

Segundo o deputado, os debates servirão para que estes profissionais “possam nos dar sua opinião sobre os diversos projetos que estamos analisado para que encontremos juntos uma solução, uma resposta à sociedade”.

Vieira da Cunha lembra ainda que entre os 19 projetos analisados pela comissão, há propostas antigas, com quase 15 anos de discussão na Casa e que, portanto, já está na hora de os deputados definirem sua posição sobre o tema.

Os projetos ampliam as medidas socioeducativas aplicadas em adolescentes infratores. O relator da matéria, deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP), já antecipou que pretende rever o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e ampliar o tempo de internação dos adolescentes que praticam infração caracterizada como crime hediondo.

No último dia 28 de maio, Vieira da Cunha participou de videochat sobre o assunto e respondeu a perguntas de internautas de todo o País.

Da Agência Câmara

Polícia acompanha novo protesto pelas ruas do Recife

Um grupo de cerca 100 jovens se reuniu na Praça do Derby, local onde se iniciou a manifestação da última quinta-feira no Recife. Após uma pequena reunião, quando um  dos líderes falou, mas impediu a aproximação da imprensa, eles decidiram deixar o local e interditaram a Avenida Agamenon Magalhães, no sentido Zona Sul.  Não quiseram informar o destino.

Depois de sentar no chão da Avenida da Agamenon Magalhães, no cruzamento com a Rua Paissandu, os manifestantes se dirigiram a outro local. Alguns correm pela a avenida, muitos estão com os rostos cobertos e não querem que a imprensa se aproxime. A polícia acompanha tudo. Apesar de não divulgarem o roteiro, parecem ir para a Avenida Conde da Boa Vista.

Mais informações no portal Diariodepernambuco.com.br

SDS não tem registro de focos de manifestação nesta sexta

Apesar de algumas informações sobre novos protesto na tarde desta sexta-feira, até o momento, a Secretaria de Defesa Social (SDS) não registrou nenhum foco de concentração nas principais vias do Recife.

De acordo com o secretário Wilson Damázio, que monitora a cidade pela telas da central de monitoramento em seu gabinete, a Praça do Derby, possível foco de concentração, não apresenta nenhuma movimentação fora do normal.

Desde o início da tarde dessa quinta-feira, o titular da pasta de segurança do estado e outras autoridades da Polícia Militar não tiram o olho da Central de Monitoramento. Atualmente, mas de 500 câmeras cobrem diversos pontos do Grande Recife.

Quanto à ocorrência referente a um policial militar esfaqueado na tarde dessa quarta-feira, o secretário esclareceu que o fato não teve ligação com a manisfestação. “O policial foi tentar evitar uma tentativa de homicídio e acabou saindo ferido. O caso aconteceu na Praça Maciel Pinheiro, na Boa Vista, mas teve ligação com o protesto”, garantiu.

 

Delegacias de Crimes Cibernéticos e Intolerância Esportiva sairão do papel

Foi publicada na edição desta sexta-feira no Diário Oficial do estado, a LEI nº 15.026 que altera a estrutura organizacional da Polícia Civil de Pernambuco. Entre as novas medidas estão as criações das Delegacias de Repressão aos Crimes Cibernéticos e Intolerância Esportiva. As unidades atenderão a uma demanda de investigação uniforme e atuação especializada de ocorrências praticadas através da internet ou ligadas a atividades esportivas.

Segundo o Chefe de Polícia Civil, Osvaldo Morais, a implantação das unidades será imediata. A Delegacia de Crimes Cibernéticos cujo titular será o delegado Leonardo Gama vai funcionar na Sede Operacional da Polícia Civil, na Rua da Aurora. O delegado tem especialização na área de crimes cibernéticos.

Foto: Eduarda Bione/Esp.DP/D.A Press

 Crimes pela internet serão investigados. Foto: Eduarda Bione/Esp.DP/D.A Press

Já a Delegacia de Intolerância Esportiva terá seus trabalhos executados na sede da Coordenação de Operações e Recursos Especiais (CORE), no bairro de São José. O titular será o delegado Carlos Onofre, que hoje coordena as ações da Polícia Civil dentro dos estádios de futebol.

A lei também cria as três Divisões de Homicídios e as 19 Delegacias de Homicídios, em substituição aos Núcleos de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI). As novas delegacias serão redistribuídas na Região Metropolitana, Zona da Mata, Agreste e Sertão do estado. A norma também altera os níveis de classificação de Delegacias Policiais de dezenas de municípios pernambucanos. A nova reclassificação permite um maior aporte de recursos humanos e materiais nas cidades, além de prever o enquadramento a novo nível de função dos delegados titulares.

Suspeito de matar modelo em Olinda responde processo em São Paulo

O tatuador André Cabral Muniz, 27 anos, apontado pela polícia como autor dos dois tiros que mataram  a modelo Danielle Solino Fasanaro, 35, dentro do apartamento do casal, no bairro de Casa Caiada, em Olinda, já foi denunciado pelo Ministério Público de São Paulo sob a acusação de porte ilegal de entorpecentes naquele estado. Em maio de 2011, a 28ª Vara Criminal de São Paulo publicou no Diário de Justiça Eletrônico que André estava em local incerto e que deveria apresentar resposta num período de 15 dias após a publicação do texto.

Segundo a cunhada do suspeito, Michelle Fasanaro, André estaria no Recife foragido da Justiça paulista. Esse caso será investigado pela Delegacia Seccional de Olinda, a partir de hoje. Ontem à tarde, o corpo de Danielle Fasanaro foi sepultado no Cemitério de Santo Amaro, no Recife. André se apresentou à polícia pernambucana como tatuador e repórter fotográfico.

Ontem, corpo da modelo foi velado e sepultado em Santo Amaro  (WAGNER OLIVEIRA/DP/D.A PRESS)
Ontem, corpo da modelo foi velado e sepultado em Santo Amaro

De acordo com a denúncia do Ministério Público de São Paulo, ele foi detido no dia 21 de maio de 2010, na Rua da Consolação, esquina com a Rua Ipiranga, no Centro da capital paulista, portando 0,1 decigrama de cocaína, para consumo próprio, conforme laudo de constatação e auto de exibição e apreensão. Com base nessa apreensão, a promotora de Justiça Luciana Barcellos Barreto de Souza Carneiro o denunciou como incurso no artigo 28 da Lei 11.343/06.

Imagem da prisão do tatuador, na terça-feira (ANNACLARICE ALMEIDA/DP/D.A PRESS)
Imagem da prisão do tatuador, na terça-feira

“O suspeito já foi autuado em flagrante pelos crimes em Olinda e foi encaminhado para o presídio. Agora, a delegada Maria Helena Couto será a responsável pelo final das investigações. Será apurado se ele realmente era foragido da Justiça de São Paulo e se é suspeito de outros crimes”, alegou o delegado Walcir Martins, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Apoio psicológico
Os familiares da modelo Danielle Fasanaro conversaram com o Diario ontem durante o velório, mas preferiram não se identificar. O pai do menino de nove anos, que foi feito refém pelo padrasto durante mais de duas horas, chegou de Campina Grande e está dando assistência ao filho, que está recebendo também acompanhamento psicológico. Um cunhado da vítima revelou que André e Danielle mantinham um relacionamento conturbado e que por conta disso, a vítima era um pouco afastada dos familiares.

Após matar a companheira, na última quarta-feira, André continuou dentro do apartamento na Avenida José Augusto Moreira com uma pistola apontada para o enteado. Ele só se rendeu após dezenas de policiais militares montarem uma operação para resgatar a criança.